CBDA/Divulgação
CBDA/Divulgação

Ricardo Prado assume cargo na CBDA; Correios pedem transparência

Cielo, Thiago Pereira e Gustavo Borges fazem reunião com presidente da estatal

Nathalia Garcia, O Estado de S. Paulo

11 Abril 2017 | 19h09

Em crise política e financeira, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) anunciou nesta terça-feira o medalhista olímpico Ricardo Prado como seu novo coordenador geral de esportes. Segundo a entidade, o nome do ex-nadador - medalha de prata nos Jogos de Los Angeles de 1984 - foi um consenso.

"Além da história como atleta de alto rendimento, Prado possui conhecimento das cinco disciplinas olímpicas por sua passagem nos comitês organizadores do Pan de 2007 e dos Jogos Olímpicos de 2016. Ele também tem experiência no Comitê Olímpico do Brasil e, em função dos cargos que exerceu, tem bom relacionamento com a Federação Internacional de Natação - FINA", explicou a CBDA, em nota.

A entidade disse ainda que o convite partiu dos coordenadores dos cinco esportes da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos e do interventor Gustavo Licks, que foi designado pela Justiça para o comando até as próximas eleições.

Na última quinta-feira, a Operação Águas Claras deflagrou a prisão de Coaracy Nunes, Sérgio Ribeiro Lins de Alvarenga (diretor financeiro), Ricardo Cabral (coordenador de polo aquático) e Ricardo de Moura (secretário-geral de natação e executivo da CBDA) em investigação de um esquema de desvios de recursos públicos. Assim, os Correios anunciaram que iriam romper contrato de patrocínio com os esportes aquáticos.

Diante disso, os principais nomes das piscinas decidiram se articular. Na segunda-feira, Cesar Cielo, Gustavo Borges e Thiago Pereira se reuniram com o presidente da estatal, Guilherme Campos, para solicitar que a empresa reveja a decisão de encerrar o vínculo com a CBDA, que está em vigor desde 1991. 

"O presidente dos Correios afirmou aos atletas que a manutenção do patrocínio só será viável se a CBDA conseguir apresentar um plano de providências que garanta maior transparência na gestão interna da entidade. O dirigente disse que irá avaliar as possibilidades após o encontro com o interventor da CBDA na próxima quarta-feira", esclareceram os Correios.

Nesta terça-feira, a chapa da oposição divulgou uma carta aberta sobre a situação enfrentada pela CBDA e ressaltou seu posicionamento nas próximas eleições presidenciais. "A nossa intenção como chapa de oposição tem dois motes muito definidos: inovação e transparência. É isso que queremos para a natação brasileira. Queremos inovar, com uma gestão compartilhada como qualquer gestão moderna, onde todos os atores dos desportos aquáticos brasileiros façam parte, treinadores, atletas, clubes, árbitros e todos aqueles que batalham diariamente na beirada das piscinas", afirmou Miguel Cagnoni. E finalizou: "O mundo mudou muito nesses últimos 29 anos, e os esportes aquáticos precisam mudar também".

 

 

Mais conteúdo sobre:
CBDA Natação Coaracy Nunes Ricardo Prado

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.