Rio luta amanhã para ser sede do Pan

Rio e San Antonio disputam a preferência dos delegados da Organização Desportiva Pan-Americana (Odepa). A escolha da cidade que vai receber os Jogos Pan-Americanos de 2007 será conhecida após assembléia geral da entidade, na Cidade do México, por volta das 15 horas (horário de Brasília). Os Estados Unidos ? o Texas, estado de San Antonio, é o berço eleitoral do presidente Geroge W. Bush ? nunca perderam uma eleição para Jogos Pan-Americanos ou Olímpicos na história recente das eleições. O Brasil não realiza um Pan, desde a edição de São Paulo, em 1963. Antes da escolha, cada cidade fará uma apresentação de, no máximo, uma hora para os eleitores. O voto é secreto. Rio ou San Antonio precisam de 26 dos 51 votos dos 42 entre os comitês olímpicos dos países que compõem a Odepa. As Nações que já organizaram Pans têm direito a votar duas vezes (Brasil, EUA, México, Colômbia, Canadá, Argentina, Venezuela, Porto Rico e Cuba). A principal vantagem atribuída à San Antonio é o fato de ter praticamente prontas as instalações esportivas. A Vila Olímpica para a hospedagem dos atletas, por exemplo, seria a Universidade local. O Rio, ao contrário, teria de construir a maior parte da infra-estrutura esportiva, uma ?desvantagem? que os defensores da candidatura tentarão transformar em ponto positivo. O argumento é de que a realização dos Jogos deixaria um legado para o Rio. ?É importante a Odepa perceber o quanto esses Jogos serão importantes para o desenvolvimento do esporte no Brasil e na América do Sul. Para os Estados Unidos é apenas mais uma candidatura?, argumenta Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro e do Comitê de Candidatura. Em sua apresentação, o prefeito César Maia dirá que o Rio terá US$ 300 milhões para a construção e melhoria das instalações esportivas e programas de desenvolvimento do esporte. O custo do Pan está orçado em US$ 178 milhões ? US$ 75,3 da Prefeitura do Rio, US$ 43,5 do Governo Federal e US$ 9,8 do Governo do Estado. O restante (US$ 49,4 milhões) seria obtido com a venda de ingressos, dos direitos de TV e de ingressos, entre outras receitas.

Agencia Estado,

23 Agosto 2002 | 19h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.