1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Secretário-geral da ONU faz discurso contra a homofobia em Sochi

O Estado de S. Paulo

06 Fevereiro 2014 | 11h 20

Ban Ki-Moon deixa clara sua insatisfação com a lei 'anti-gay' em vigência na Rússia

SOCHI - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, condenou a discriminação contra os homossexuais em discurso na 126ª Sessão do Comitê Olímpico Internacional (COI), realizada nesta quinta-feira, em Sochi. A abertura oficial dos Jogos Olímpicos de Inverno será nesta sexta, mas algumas competições começaram a ser disputadas um dia antes.

Ban Ki-Moon abordou de forma direta um dos assuntos que geraram maior polêmica durante o período de preparação para os Jogos: a lei "anti-gay" aprovada pelo parlamento russo, que proíbe manifestações de apoio à causa dos homossexuais. Ele assistirá a cerimônia de abertura, em uma atitude que demonstra o desacordo da ONU sobre a legislação do país.

Durante sua fala, o secretário-geral da ONU ressaltou o artigo 6º da Carta Olímpica, em que está clara toda oposição contra qualquer forma de discriminação. "Devemos levantar nossas vozes contra os ataques a lésbicas, gays, bissexuais e transsexuais", enfatizou. "Devemos nos opor às prisões e às restrições que a eles são impostas."

Depois de se referir a iniciativas conjuntas do COI e da ONU para transformar o esporte em uma ferramenta de transformação social, Ban Ki-Moon assinalou que as duas entidades compartilham os ideiais de "sustentabilidade, universalidade, solidariedade e indiscriminação."

O presidente do COI, Thomas Bach, também fez um discurso afirmando que o esporte está ao lado do respeito e contra qualquer forma de discriminação. "Os princípios olímpicos são os princípios das Nações Unidas."