Reprodução/CBHb
Reprodução/CBHb

Seleção feminina de handebol apenas empata com o Japão na estreia do Mundial

Brasil volta às quadras neste domingo para enfrentar a Tunísia

Estadão Conteúdo

02 Dezembro 2017 | 19h26

O estilo oriental atrapalhou bastante o Brasil neste sábado. Na estreia pelo Mundial de Handebol, disputado na Alemanha, a seleção feminina, agora comandada pelo técnico espanhol Jorge Dueñas, sofreu e apenas ficou no empate com o Japão por 28 a 28 (12 a 15 no primeiro tempo), pela rodada inaugural do Grupo C, na cidade de Oldenburg.

O Japão foi um adversário complicado, que impôs um jogo duro e difícil para o Brasil. As brasileiras estiveram atrás no placar praticamente o duelo inteiro, mas lutaram e conseguiram a igualdade. Até poderiam ter vencido, mas um gol no último segundo que daria os três pontos foi anulado porque, segundo a arbitragem, a bola entrou após o apito final.

O Brasil fez um primeiro tempo bastante difícil contra a rápida seleção do Japão. As variações de ataque das adversárias dificultaram a defesa brasileira e, com isso, as orientais saíram na frente. A vantagem permaneceu por todo o primeiro tempo, mas as brasileiras se acertaram melhor no ataque no final da primeira parte e conseguiram deixar a diferença menor, de apenas três gols.

No início do segundo tempo, Samira, que já havia levado suspensão de dois minutos duas vezes, sofreu a terceira e não pôde mais entrar em quadra. Duda Amorim e Ana Paula continuaram puxando a equipe para o gol e o resultado foi positivo, pois pouco a pouco o placar ficava mais igualado. Já empatado no finalzinho, o confronto tomou um tom dramático, com a última bola chutada por Duda que entrou. No entanto, não foi contabilizada, pois segundo a arbitragem ela tocou o gol após o cronômetro zerar.

Mesmo com a possibilidade de ter saído com vitória, o resultado foi positivo para o Brasil. "O primeiro jogo é sempre difícil. Acho que no primeiro tempo tivemos problemas na defesa porque o Japão jogou muito rápido e tivemos que mudar nosso sistema. No segundo tivemos paciência para buscar o placar. Tivemos oportunidade de vencer, mas o último gol não valeu. Sabíamos que seria muito difícil jogar contra o Japão na estreia", ressaltou o treinador espanhol, que assumiu o comando da seleção brasileira este ano.

Duda Amorim, autora do último gol que poderia ter dado a vitória ao Brasil, ressaltou a força da equipe em buscar o resultado, mesmo estando em desvantagem. "Fico feliz por conquistar este ponto. Acho que elas jogaram melhor que nós. Mas mostramos um bom espírito de equipe e buscamos até o final. Espero que possamos jogar melhor na próxima partida".

Sem muito descanso, a equipe volta à quadra já neste domingo, às 11 horas (de Brasília) para enfrentar a Tunísia. As africanas jogaram neste sábado contra a Rússia e foram derrotadas por 36 a 16.

Mais conteúdo sobre:
Handebol Handebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.