CBHb/Divulgação
CBHb/Divulgação

Seleção masculina de handebol bate Chile e decide torneio contra a Argentina

Brasil vai para final após vitória por 30 a 17 sobre chilenos, em São Bernardo do Campo (SP)

Estadão Conteúdo

28 Outubro 2017 | 21h50

Assim como aconteceu no dia anterior contra o Uruguai, a seleção brasileira masculina de handebol não encontrou dificuldades neste sábado para vencer mais uma vez pelo Torneio Quatro Nações, disputado no ginásio Adib Moyses Dib, em São Bernardo do Campo (SP). Contra o Chile, pela segunda rodada da competição amistosa, os comandados do técnico Washington Nunes ganharam por 30 a 17 (20 a 9 no primeiro tempo).

+ Seleção masculina de handebol bate Uruguai em estreia de torneio amistoso

Neste domingo, o Brasil fará a "final" deste quadrangular contra a Argentina, que mais cedo derrotou o Uruguai por 35 a 18 e também chegou a duas vitórias em dois jogos. O duelo acontecerá às 10 horas. Na sequência, às 12h30, uruguaios e chilenos disputarão o terceiro lugar.

No jogo deste sábado, o Brasil começou a partida com tudo e não deu chances para o adversário. Com alta intensidade, a vantagem no primeiro tempo foi de 11 gols. Já na etapa final, a seleção aproveitou a larga diferença, não foi ameaçada e conquistou a segunda vitória no torneio. O artilheiro do jogo foi Fábio Chiuffa, que marcou seis gols para o lado brasileiro.

Washington Nunes ficou satisfeito com a apresentação diante do Chile. "Nós tínhamos uma determinação da equipe se mostrar mais eficiente defensivamente a cada jogo. A equipe que jogou hoje (sábado) entrou para marcar muito melhor do que ontem (sexta-feira), quando já marcamos muito bem. Quando atingimos esses objetivos, ficamos felizes. Nosso trabalho tem muito de jogar no sistema defensivo. O repertório defensivo sobre a defesa 5:1, que no primeiro amistoso foi ruim, hoje foi muito bom. Agora, precisamos buscar regularidade, porque tivemos momentos jogando a 100% e, em alguns momentos, caímos a 60%. Fomos buscar a regularidade de todo mundo", afirmou o treinador, que espera um grande duelo contra a Argentina.

"É um jogo emblemático, um clássico e é sempre importante. Jogar contra a Argentina neste momento é bastante significativo porque eles têm um treinador espanhol (Manuel Cadenas), que está mudando o sistema e o projeto. Então, não temos só que olhar o jogo em si com o resultado, e sim o que essa partida pode nos dar para o futuro e o que nossa equipe pode apresentar", acrescentou.

Quem também espera uma grande disputa neste domingo é o armador direito Zé. "No jogo de hoje (sábado) entramos mais concentrados do que nos amistosos. A defesa foi muito melhor no 5:1 e também entramos com mais pegada e garra no ataque. Eu senti isso. Amanhã (domingo) é o clássico, uma partida sempre pegada e, se entrarmos com o mesmo foco de hoje, pode ser bem bom para a gente", declarou o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.