Sertão perde em sua primeira defesa de título dos penas

O pugilista brasileiro Valdemir "Sertão" Pereira perdeu na madrugada deste domingo o título mundial na categoria peso pena, pela Federação Internacional de Boxe (FIB), ao ser derrotado pelo norte-americano Eric Aiken, em Boston, nos Estados Unidos. Ele foi desclassificado pelo juiz no 8º assalto do combate, depois de aplicar o terceiro golpe abaixo da linha de cintura do adversário, o que não é permitido. Esta é a primeira derrota de Sertão, que tem 31 anos, em 24 lutas como profissional. Aiken, de 26 anos, agora tem 16 vitórias (12 por nocaute) e 4 derrotas. Sertão encarou a luta com o norte-americano como a grande oportunidade de mostrar que a conquista do cinturão conseguida em janeiro não veio por acaso. E também para ganhar a confiança da crítica especializada. A revista norte-americana The Ring, por exemplo, chegou a ironizar o título do brasileiro. "Ele não é um campeão", estampou em suas páginas. Pelo menos por enquanto, Sertão não vai consolidar sua imagem. Antes da desclassificação, porém, ele teve bons momentos no combate. Nos três primeiros rounds, tomou iniciativa, manteve Aiken sob controle e abriu vantagem. Ensaiou até golpes mais incisivos, dando a impressão de que poderia voltar para sua cidade natal, Cruz Alta (BA), com o cinturão. A primeira grande falha veio no 4º assalto, quando Sertão caiu depois de um forte cruzado que recebeu na cabeça. No 5º assalto, o brasileiro caiu novamente, desta vez com um golpe no fígado, mas reagiu rápido. No round seguinte, ele já havia equilibrado a luta com muita raça, mas exagerou na "vontade" e deu o primeiro golpe baixo. O mesmo aconteceu nos outros assaltos, até sua desclassificação, até certo ponto polêmica. Revoltado com decisão do juiz, Sertão pediu revanche ao norte-americano depois da luta. Agora, o boxe brasileiro volta a ter apenas um campeão mundial: Acelino Popó Freitas, que esteve em Boston acompanhando o combate deste domingo.

Agencia Estado,

14 Maio 2006 | 00h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.