Um dia após massacre, Brasil empata e leva ouro no futsal

Um dia depois de estabelecer o recorde mundial do futsal, com a goleada por 76 a 0 sobre o Timor Leste, a seleção brasileira jogou para o gosto e apenas empatou por 1 a 1 com Portugal, neste sábado, assegurando graças ao melhor saldo de gols a medalha de ouro nos Jogos da Lusofonia, que estão sendo disputados em Macau. Embora a competição tenha também o objetivo de aproximar os países de língua portuguesa, o jogo foi muito tenso e o Brasil teve até um jogador expulso, o artilheiro Valdin, autor de 20 gols (outro recorde mundial) contra o Timor. O gol do Brasil foi marcado pelo goleiro Tiago, aos 18 minutos do segundo tempo. Portugal empatou no minuto seguinte, com Pedro Costa, mas não conseguiu a vitória. "Estou muito emocionado e espero que minha trajetória com a camisa da seleção seja longa?, comemorou Tiago, que acaba de se transferir para o Malwee/Jaraguá, vice-campeão da Liga Futsal, e foi convocado pela primeira vez para um torneio internacional, assim como vários outros jogadores levados a Macau pelo técnico PC Oliveira. Com o empate, o Brasil levou a melhor por somar saldo de 110 gols (111 marcados, média de 27,7 por partida, e apenas um sofrido), enquanto Portugal terminou com saldo de 81 gols (83 marcados e 2 sofridos), mesmo levando sua equipe principal. O bronze foi para Angola, que venceu o Timor Leste por 24 a 3 neste sábado. Dose dupla Enquanto conquistava mais um título em Macau, outra equipe, comandada pelo técnico Totonho e formada também por muitos jovens, mas reforçada pelo craque Falcão, venceu o Chile por 17 a 1, em São Caetano do Sul. Foi a segunda vitória seguida sobre o rival - na quinta-feira, o Brasil havia vencido por 15 a 0.

Agencia Estado,

14 Outubro 2006 | 11h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.