Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Após Rússia, EUA garantem vaga no Rio-2016 no vôlei feminino

Esportes

Nati Harnik/AP

esportes

Rio-2016

Após Rússia, EUA garantem vaga no Rio-2016 no vôlei feminino

Americanas conquistam Pré-Olímpico sobre República Dominicana

0

Estadão Conteúdo

10 Janeiro 2016 | 09h41

Vice-campeãs olímpicas nas últimas duas edições dos Jogos, as norte-americanas vão poder tentar a revanche contra a seleção brasileira feminina de vôlei em pleno Rio de Janeiro. Os EUA garantiram a vaga na Olimpíada na noite de sábado, ao vencerem o Pré-Olímpico das Américas do Norte e Central.

Diante de mais de 10 mil torcedores na cidade de Lincoln, em Nebraska, os EUA não tiveram dificuldades para vencer a República Dominicana por 3 sets a 0, com parciais de 25/19, 25/19 e 25/18. As dominicanas ainda terão a oportunidade de tentar se classificar ao Rio-2016 por meio do Pré-Olímpico Mundial, programado para maio, no Japão.

Os EUA são, na atualidade, a grande força do vôlei feminino, mais fortes inclusive do que o Brasil. Venceram o Mundial de 2014, o Grand Prix de 2015 e os Jogos Pan-Americanos de Toronto, também no ano passado. Só não levaram a Copa do Mundo, disputada no fim do ano passado, no Japão, que classificou China e Sérvia para a Olimpíada.

Também no sábado, mais cedo, a seleção da Rússia também se classificou para os Jogos, ao vencer o torneio classificatório europeu, realizado na Turquia, em Ancara, com a vitória sobre a Holanda por 3 sets a 1.

A assim como os EUA, a Rússia é considerada uma das principais adversárias da seleção brasileira, tanto que foi campeã mundial em 2006 e 2010, embora tenha ficado de fora do pódio nos Jogos Olímpicos de 2008 e 2012, quando caiu exatamente para o Brasil, nas quartas de final, em um duelo histórico em Londres.

Derrotada pela Rússia, a Holanda ainda tem chances de classificação para a Olimpíada do Rio, assim como a Itália, que garantiu o terceiro lugar ao bater a Turquia.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.