Reuters/Stoyan Nenov
Reuters/Stoyan Nenov

Briga política pode tirar brasileiro de Mundial de levantamento de peso

Quinto colocado nos Jogos Rio-2016, Fernando Reis não disputará principais competições do ano

Nathalia Garcia, O Estado de S.Paulo

12 Junho 2017 | 07h00

Quinto colocado no levantamento de peso nos Jogos Olímpicos do Rio, Fernando Reis não foi convocado para o Campeonato Pan-Americano da modalidade, em julho, em Miami. Como o torneio continental será a única seletiva para o Campeonato Mundial, em novembro, também nos Estados Unidos, o bicampeão dos Jogos Pan-Americanos está fora das principais competições do ano.

Crítico da Confederação Brasileira de Levantamento de Pesos (CBLP), Fernando fala em represália decorrente de uma briga política. "Essa ação foi feita em retaliação. A gente não é conivente com as improbidades administrativas dentro da Confederação." Quando fala no plural, ele se refere também à Federação Paulista de Levantamento de Peso, encabeçada por seu pai, Horácio Reis.

Já Enrique Montero, presidente da CBLP, defende a transparência, alegando que todos tinham conhecimento de que seria preciso obter o índice no Campeonato Brasileiro, e diz que o atleta estava inscrito, mas não competiu por opção.

"Com a adoção e divulgação com antecedência de regras claras e transparentes, a CBLP exclui (ou minimiza) qualquer possibilidade de conflito de interesse, favorecimento ou retaliação", afirmou o dirigente. E complementou: "As regras estavam divulgadas para todos, valiam igualitariamente para todos e foram aplicadas para todos".

Segundo Montero, o calendário da CBLP foi "amplamente" divulgado em janeiro de 2017 e, no mesmo mês, foi comunicado o critério de convocação para as duas competições. No documento divulgado pela entidade no início do ano nas redes sociais, entretanto, consta que "os campeonatos brasileiros e internacionais poderão ser considerados para análise da composição das seleções brasileiras dos eventos futuros". Na convocatória do Brasileiro, divulgada no site da entidade em abril, a restrição não fica clara. "Esse evento será classificatório para o Campeonato Pan-Americano Adulto".

Principal atleta do levantamento de peso, Fernando está morando nos Estados Unidos desde janeiro. Divide seu tempo entre os treinamentos e o projeto pessoal de abrir um espaço dedicado ao esporte dentro da academia de um amigo, a Ferrino Sports Fitness Club, em Miami, que deve ser inaugurado em breve.

"Até um mês antes do Campeonato Brasileiro, eles não sabiam se seria no Rio de Janeiro ou em Minas Gerais. Não tinham local exato. Foi colocado como única seletiva já sabendo que eu não estava presente. O motivo pelo qual não pude competir é que estou tirando documentos nos EUA e não posso sair durante esse processo de regularização", disse.

No exterior, Fernando participou de um torneio em Doral, no qual alcançou 412 kg no total, 44 kg acima do índice exigido pela CBLP, e esperava homologar o resultado para representar o Brasil. Mas a entidade nacional não reconheceu a validade da competição. "A Federação Americana respondeu que não consta o nome do Fernando em seu sistema de gerenciamento de resultados e que eles não usavam mais a súmula apresentada", explicou Montero.

Na troca de mensagens em inglês com o presidente da CBLP, o CEO da entidade americana diz que "como os participantes colombianos ou brasileiros não são membros, eles não apareceram nos resultados enviados ao levantamento de peso dos EUA". A competição na Flórida é um evento de organização local.

O atleta recorreu à Justiça e ainda tem esperança de participar das competições. "A Federação Paulista de Levantamento de Peso entrou com recurso por meio do advogado para ver se a gente consegue reverter essa situação. Tem de aguardar a decisão para ver no que vai dar. Esperamos pelo melhor. É algo bem indigesto, mas tento olhar da melhor maneira possível para continuar treinando e me manter preparado. Se não der certo, não sou o único que sai prejudicado. É o Brasil que não vai ter resultados tão expressivos. Paciência. Está prejudicando o próprio esporte, não está só me prejudicando", lamentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.