José Mendez/EFE
José Mendez/EFE

COI diz que espera 'nunca mais' passar pelo 'teste de estresse' do Rio

Thomas Bach comemora que o evento foi organizado mesmo com a crise econômica no Brasil

Jamil Chade, enviado especial ao Rio, O Estado de S.Paulo

04 Agosto 2016 | 14h37

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, declarou que espera que "nunca mais" o movimento olímpico passe por um "teste de estresse como ocorreu no Rio de Janeiro". A declaração foi feita ao final do Congresso do COI, que por três dias tratou da situação do Rio e do movimento olímpico.

Questionado pelo Estado durante a coletiva de imprensa, Bach defendeu o modelo financeiro do COI que, apesar da recessão no Brasil, apresentou uma renda recorde entre 2013 e 2016.

"Se esse modelo passou por esse teste de estresse aqui, isso significa que ele é mais que robusto. A crise no Brasil é talvez a pior da história. É uma crise de estado, social, econômica. Existem desafios na saúde, no meio ambiente. Em todos os lugares que você olha, existe uma crise profunda", insistiu.

"Apesar disso tudo, esse comitê e a cidade transformaram a cidade e vão realizar os Jogos. O COI sempre se mostrou solidário. Nem sempre foi fácil e não está sendo fácil agora que falamos", admitiu Bach.

"Podemos dizer que o modelo financeiro dos Jogos sobreviveu a esse teste de estresse e espero que jamais tenhamos de enfrentar isso de novo no futuro", declarou, garantindo que iria continuar a mostrar solidariedade.

PARTICIPE

Quer saber tudo dos Jogos Olímpicos do Rio? Adicione o número (11) 99371-2832 aos seus contatos, mande um WhatsApp para nós e passe a receber as principais notícias e informações sobre o maior evento esportivo do mundo através do aplicativo. Faça parte do time "Estadão Rio-2016" e convide seus amigos para participar também!

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.