Assine o Estadão
assine

Esportes

OMS

Comitê Rio tem lista de prevenção para evitar a zika nos Jogos

Médico João Grangeiro afirma que o Rio-2016 está com 'o nível de preocupação adequado' para esse tipo de situação

0

Marcio Dolzan e Paulo Favero,
O Estado de S. Paulo

27 Fevereiro 2016 | 17h05

Chefe médico do Comitê Rio-2016, João Grangeiro teve de responder a dezenas de questionamentos de jornalistas estrangeiros no início do mês, quando os casos de microcefalia ligados à zika se tornaram emergência mundial. Numa das respostas, Grangeiro disse que os atletas seriam orientados a manter as janelas fechadas durante a permanência no Rio, declaração considerada controversa por alguns em virtude do calor na capital fluminense.

A medida, porém, é uma das que deverão ser tomadas por todas as delegações, e segue protocolo da OMS (Organização Mundial de Saúde). “Estamos orientando a adoção de medidas preventivas, como o uso de repelentes, manter as janelas fechadas na Vila Olímpica e nos hotéis, e aproveitar o ar-condicionado”, reforçou, ao Estado.

“Mantemos contato constante com os comitês olímpicos nacionais, com as federações, com as delegações que vêm para os eventos-teste, e estamos pedindo que se siga o que foi preconizado pela OMS e pelo COI (Comitê Olímpico Internacional)”, continuou.

O médico afirma que o Rio-2016 está com “o nível de preocupação adequado” para esse tipo de situação. “A gente entende que o problema existe, que estamos diante de um surto, de uma epidemia”, comentou. “Mas, do ponto de vista médico, 80% dos casos de zika é benigno”, completou.

Grangeiro sustentou ainda que a preocupação com o combate ao mosquito transmissor do vírus existia por parte do Comitê Rio-2016 muito antes da própria disseminação da doença. “A gente já vinha acompanhando o histórico de outros anos de infestação do Aedes e trabalhado em cima disso desde muito antes do zika, porque o mosquito também é o vetor da dengue. Sempre foi o nosso foco”, garantiu.

Segundo o comitê, durante a realização dos Jogos, equipes farão inspeções diárias em todas as instalações olímpicas. Neste momento que algumas instalações esportivas ainda estão em obras, também existe o cuidado para evitar focos de depósito das larvas dos mosquitos.

Comentários