1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Comitê Rio tem lista de prevenção para evitar a zika nos Jogos

- Atualizado: 27 Fevereiro 2016 | 17h 05

Médico João Grangeiro afirma que o Rio-2016 está com 'o nível de preocupação adequado' para esse tipo de situação

Chefe médico do Comitê Rio-2016, João Grangeiro teve de responder a dezenas de questionamentos de jornalistas estrangeiros no início do mês, quando os casos de microcefalia ligados à zika se tornaram emergência mundial. Numa das respostas, Grangeiro disse que os atletas seriam orientados a manter as janelas fechadas durante a permanência no Rio, declaração considerada controversa por alguns em virtude do calor na capital fluminense.

A medida, porém, é uma das que deverão ser tomadas por todas as delegações, e segue protocolo da OMS (Organização Mundial de Saúde). “Estamos orientando a adoção de medidas preventivas, como o uso de repelentes, manter as janelas fechadas na Vila Olímpica e nos hotéis, e aproveitar o ar-condicionado”, reforçou, ao Estado.

“Mantemos contato constante com os comitês olímpicos nacionais, com as federações, com as delegações que vêm para os eventos-teste, e estamos pedindo que se siga o que foi preconizado pela OMS e pelo COI (Comitê Olímpico Internacional)”, continuou.

O médico afirma que o Rio-2016 está com “o nível de preocupação adequado” para esse tipo de situação. “A gente entende que o problema existe, que estamos diante de um surto, de uma epidemia”, comentou. “Mas, do ponto de vista médico, 80% dos casos de zika é benigno”, completou.

Grangeiro sustentou ainda que a preocupação com o combate ao mosquito transmissor do vírus existia por parte do Comitê Rio-2016 muito antes da própria disseminação da doença. “A gente já vinha acompanhando o histórico de outros anos de infestação do Aedes e trabalhado em cima disso desde muito antes do zika, porque o mosquito também é o vetor da dengue. Sempre foi o nosso foco”, garantiu.

Segundo o comitê, durante a realização dos Jogos, equipes farão inspeções diárias em todas as instalações olímpicas. Neste momento que algumas instalações esportivas ainda estão em obras, também existe o cuidado para evitar focos de depósito das larvas dos mosquitos.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX