1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Comitê Russo suspende quatro competidores do atletismo por doping

- Atualizado: 25 Janeiro 2016 | 14h 32

O Comitê Olímpico Russo anunciou a suspensão de quatro nomes do atletismo do país por doping, incluindo uma medalhista de prata no Europeu de 2012. É o caso de Irina Maracheva, que ganhou a prata nos 800 metros na competição continental em Helsinque. Agora, porém, ela foi suspensa por dois anos.

Vários outros corredores russos dos 800 metros receberam suspensões por doping ou estão sob investigação, incluindo a campeã olímpica. Mariya Savinova. Maracheva originalmente terminou em terceiro lugar no final dos 800m em 2012, mas herdou a prata após a também russa Yelena Arzhakova perder a sua medalha de ouro por doping.

Irina Maracheva, umas das atletas suspensas pelo Comitê da Rússia

Irina Maracheva, umas das atletas suspensas pelo Comitê da Rússia

A marchadora Anna Lukyanova, que já conquistou uma medalha de prata no Mundial Júnior, foi suspensa por dois anos e se junta a uma lista de mais de 30 casos de doping nos últimos anos ligados centro nacional de marcha atlética, na cidade de Saransk.

Além disso, a corredora Maria Nikolaeva, especialista nos 800m, e Elena Nikulina, que corre nos 400m, foram suspensas por quatro anos. As punições foram as primeiras proferidas pelo comitê russo, que ganhou alguma autoridades sobre a Federação Russa de Atletismo após seu banimento de competições internacionais em novembro por acusações de doping sistemático.

Em um comunicado, o comitê não especificou quais violações as quatro atletas tinham cometido, a partir de quando as punições valem e quais resultados serão cancelados. Mas o porta-voz Konstantin Vybornov disse à agência de notícias Associated Press que "praticamente todos" os casos envolveram o sistema de passaporte biológico, que analisa o sangue dos atletas em busca de evidências de doping.

  • Tags:
Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.