Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Comitê Russo suspende quatro competidores do atletismo por doping

Esportes

EFE

Esportes

Comitê Russo suspende quatro competidores do atletismo por doping

O Comitê Olímpico Russo anunciou a suspensão de quatro nomes do atletismo do país por doping, incluindo uma medalhista de prata no Europeu de 2012. É o caso de Irina Maracheva, que ganhou a prata nos 800 metros na competição continental em Helsinque. Agora, porém, ela foi suspensa por dois anos.

0

Estadão Conteúdo

25 Janeiro 2016 | 13h49

Vários outros corredores russos dos 800 metros receberam suspensões por doping ou estão sob investigação, incluindo a campeã olímpica. Mariya Savinova. Maracheva originalmente terminou em terceiro lugar no final dos 800m em 2012, mas herdou a prata após a também russa Yelena Arzhakova perder a sua medalha de ouro por doping.

A marchadora Anna Lukyanova, que já conquistou uma medalha de prata no Mundial Júnior, foi suspensa por dois anos e se junta a uma lista de mais de 30 casos de doping nos últimos anos ligados centro nacional de marcha atlética, na cidade de Saransk.

Além disso, a corredora Maria Nikolaeva, especialista nos 800m, e Elena Nikulina, que corre nos 400m, foram suspensas por quatro anos. As punições foram as primeiras proferidas pelo comitê russo, que ganhou alguma autoridades sobre a Federação Russa de Atletismo após seu banimento de competições internacionais em novembro por acusações de doping sistemático.

Em um comunicado, o comitê não especificou quais violações as quatro atletas tinham cometido, a partir de quando as punições valem e quais resultados serão cancelados. Mas o porta-voz Konstantin Vybornov disse à agência de notícias Associated Press que "praticamente todos" os casos envolveram o sistema de passaporte biológico, que analisa o sangue dos atletas em busca de evidências de doping.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.