Assine o Estadão
assine

Esportes

Dunga

Dunga prefere Neymar na Olimpíada do que na Copa América

Técnico vê o atacante como peça fundamental na equipe no Rio

0

Estadão Conteúdo

08 Março 2016 | 19h34

O técnico Dunga esteve nesta terça-feira no Santiago Bernabéu para acompanhar o confronto entre Real Madrid e Roma pela Liga dos Campeões. Ele viaja pela Europa para conversar com alguns clubes do continente sobre a possibilidade de liberação de seus jogadores para a Olimpíada do Rio. Entre estes atletas, está o atacante Neymar.

Principal jogador do País na atualidade, Neymar é visto por Dunga como peça fundamental para o sonho do ouro olímpico brasileiro virar realidade. O Barcelona já admitiu liberar o atacante no meio do ano, só que a seleção também terá a Copa América Centenário no período, um pouco antes dos Jogos do Rio, em junho.

Se tiver que escolher entre as duas competições para contar com o craque, Dunga indicou preferir tê-lo na Olimpíada. "Pela questão da importância que se dá pela medalha que o Brasil não tem. Ele está em uma grande temporada, vai querer vencer dentro de casa depois de tudo que aconteceu na Copa do Mundo. Mas, sem dúvida, seria bom tê-lo nas duas", explicou em entrevista ao Esporte Interativo.

No mês passado, quando foi perguntado sobre a possibilidade de o Barcelona liberar Neymar para as duas competições, o técnico Luis Enrique chegou a indicar que Dunga e a CBF teriam que optar pela Olimpíada ou a Copa América Centenário.

Ao que parece, o treinador brasileiro não tem dúvida e quer Neymar no Rio, mesmo que ele ocupe uma das três vagas disponíveis no elenco para atletas acima de 23 anos. "O Neymar, sem dúvida, se pudermos contar com ele e for o desejo dele (é um dos atletas acima do limite de idade). Então, vamos conversar com o Barcelona para ver o que podemos fazer", afirmou.

Dunga mostrou uma postura serena em relação à necessidade de dialogar com os clubes europeus para convencê-los a liberar seus atletas para os Jogos Olímpicos. É justamente esta questão que ele pretende resolver em seus próximos dias pela Europa.

"Eu, Gilmar (Rinaldi, coordenador de seleções) e o Andrey (Lopes, auxiliar-técnico) já tivemos passagem para a Europa. Agora, estamos voltando por causa da questão olímpica. Temos que conversar com os clubes, conversar sobre esta possibilidade. É preciso conversa, abertura, porque os proprietários dos jogadores são os clubes", lembrou.

Comentários