1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Juliana Veloso tenta vaga para 5ª Olimpíada nos saltos ornamentais

- Atualizado: 22 Fevereiro 2016 | 07h 11

Experiente não se sente pressionada na disputa da Copa do Mundo

A mais experiente atleta da equipe brasileira de saltos tentará na segunda-feira se aproximar da vaga para os Jogos Olímpicos do Rio. Se conseguir avançar às semifinais na prova de trampolim de três metros na Copa do Mundo, que está sendo disputada no Parque Aquático Maria Lenk, Juliana Veloso ficará muito próxima de disputar sua quinta Olimpíada, em agosto. Mas, aos 35 anos, a atleta garante não se sentir pressionada pela vaga; sua única preocupação é saltar bem na reta final da carreira.

A atleta saltou nas piscinas de Sydney-2000, Atenas-2004, Pequim-2008 e Londres-2012. Não chegou a conquistar uma medalha, mas subiu ao pódio três vezes em Jogos Pan-Americanos. Os prêmios, porém, são o que menos importam para ela.

Veterana Juliana Veloso tem 35 anos de idade
Veterana Juliana Veloso tem 35 anos de idade

"Eu não tenho objetivo de ir a lugar nenhum. Não coloco isso na minha cabeça. Minha preocupação é fazer os saltos do jeito que tenho de fazer", afirmou em entrevista ao Estado, logo depois de treinar nas piscinas do Maria Lenk. Juliana não esconde o desejo de estar nos Jogos do Rio, mas garante que um eventual insucesso não vai afetá-la "Fui mal, errei o salto, fiquei em último? Tudo bem, mas fiz o meu melhor, eu tentei."

Para a atleta, o mais importante é a sensação de ter cumprido seu dever ao longo de toda a carreira. "Posso contar aos meus filhos que fiz parte da história do esporte. Não só eu, mas todas as pessoas que conseguiram ter uma carreira mais longa tiveram amor pelo que fizeram. Eu não tenho incentivo de ninguém, quem me ajuda é a minha família. Tenho prazer com o que faço."

Conquistando ou não a vaga para o Rio-2016, ela garante que não tentará estar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, daqui a quatro anos – ao menos não como atleta. "Acho que tenho muita coisa a oferecer em outras áreas. Futuro, para mim, é esta Copa do Mundo. Depois, talvez seja a Olimpíada", comentou. "Preciso pensar pouco no futuro para poder desfrutar melhor o momento."

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX