Assine o Estadão
assine

Esportes

Rio-2016

Ministério da saúde concede R$ 30 milhões para os Jogos Olímpicos

O repasse será utilizado para operacionalização das ambulâncias

0

O Estado de S.Paulo

22 Março 2016 | 11h17

O Rio de Janeiro vai receber R$ 30 milhões do Governo Federal para reforçar o atendimento ao público nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio-2016. A verba será utilizada para operacionalizar ambulâncias que farão o transporte de pacientes durante a competição em casa do acidentes. A transferência do dinheiro será dividida em três parcelas disponibilizadas nos meses de março, abril e a última em agosto. Compra de insumos e combustível estão na lista de disponibilidade do recurso.

O Dário da União já publicou a nota sobre o repasse. Está previsto dentro desse orçamento, a montagem de centros de atuações, assim como a compra de ambulâncias.

VEJA A NOTA PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO:

O Ministério da Saúde, em parceria com o estado e o município do Rio de Janeiro, trabalha para aprimorar a infraestrutura e a organização dos serviços para os torcedores que acompanharão os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. As iniciativas desenvolvidas no âmbito da saúde incluem a montagem de um centro de operações para atuar em situações de emergência e auxiliar na rede de assistência, e também a entrega de novas ambulâncias, que após o evento serão utilizadas na renovação da frota do SAMU 192 (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de todo o País.

Nesta segunda-feira (21) foi publicada no Diário Oficial da União a portaria que libera R$ 30 milhões para financiar a operacionalização das ambulâncias que serão utilizadas para transporte de pacientes durante os Jogos. Os recursos serão transferidos em três parcelas (março, abril e agosto) e devem ser disponibilizados, por exemplo, para a compra de insumos, combustível, entre outros itens.

Para atuar em situações de risco, o Ministério da Saúde colocará em funcionamento o Centro Integrado de Operação Conjunta da Saúde (CIOCS). As salas de monitoramento, instaladas em Brasília e no Rio de Janeiro, irão acompanhar a demanda por atendimento, a vigilância epidemiológica e sanitária, além de coordenar respostas diante de emergências em saúde pública.

 

O CIOCS foi criado em 2011 pelo Ministério da Saúde e foi ativado em eventos como a Copa das Confederações, Jornada Mundial da Juventude e Copa do Mundo. Essa experiência foi crucial durante a Copa do Mundo 2014, para o monitoramento de informações nos estados e municípios e para a organização da rede de saúde. Durante a Copa, apenas 0,2% dos participantes necessitaram de algum tipo de atendimento de saúde fora das arenas, como demonstra a experiência internacional, que prevê que, nos locais dos jogos, a necessidade de deslocamento a unidade de saúde de maior complexidade fica entre 0,2% e 0,5%.

 

Comentários