1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Ministério da saúde concede R$ 30 milhões para os Jogos Olímpicos

- Atualizado: 22 Março 2016 | 15h 26

O repasse será utilizado para operacionalização das ambulâncias

O Rio de Janeiro vai receber R$ 30 milhões do Governo Federal para reforçar o atendimento ao público nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio-2016. A verba será utilizada para operacionalizar ambulâncias que farão o transporte de pacientes durante a competição em casa do acidentes. A transferência do dinheiro será dividida em três parcelas disponibilizadas nos meses de março, abril e a última em agosto. Compra de insumos e combustível estão na lista de disponibilidade do recurso.

O Dário da União já publicou a nota sobre o repasse. Está previsto dentro desse orçamento, a montagem de centros de atuações, assim como a compra de ambulâncias.

Confira o andamento das obras da Olimpíada do Rio
Renato Sette/Prefeitura do Rio
Confira o andamento das obras olímpicas no Rio

Após diversas manifestações dos ambientalistas, o campo olímpico de golfe foi 100% concluído. No domingo, a instalação localizada na Barra da Tijuca foi entregue pelo prefeito Eduardo Paes.

VEJA A NOTA PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO:

O Ministério da Saúde, em parceria com o estado e o município do Rio de Janeiro, trabalha para aprimorar a infraestrutura e a organização dos serviços para os torcedores que acompanharão os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. As iniciativas desenvolvidas no âmbito da saúde incluem a montagem de um centro de operações para atuar em situações de emergência e auxiliar na rede de assistência, e também a entrega de novas ambulâncias, que após o evento serão utilizadas na renovação da frota do SAMU 192 (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) de todo o País.

Nesta segunda-feira (21) foi publicada no Diário Oficial da União a portaria que libera R$ 30 milhões para financiar a operacionalização das ambulâncias que serão utilizadas para transporte de pacientes durante os Jogos. Os recursos serão transferidos em três parcelas (março, abril e agosto) e devem ser disponibilizados, por exemplo, para a compra de insumos, combustível, entre outros itens.

Para atuar em situações de risco, o Ministério da Saúde colocará em funcionamento o Centro Integrado de Operação Conjunta da Saúde (CIOCS). As salas de monitoramento, instaladas em Brasília e no Rio de Janeiro, irão acompanhar a demanda por atendimento, a vigilância epidemiológica e sanitária, além de coordenar respostas diante de emergências em saúde pública.

 

O CIOCS foi criado em 2011 pelo Ministério da Saúde e foi ativado em eventos como a Copa das Confederações, Jornada Mundial da Juventude e Copa do Mundo. Essa experiência foi crucial durante a Copa do Mundo 2014, para o monitoramento de informações nos estados e municípios e para a organização da rede de saúde. Durante a Copa, apenas 0,2% dos participantes necessitaram de algum tipo de atendimento de saúde fora das arenas, como demonstra a experiência internacional, que prevê que, nos locais dos jogos, a necessidade de deslocamento a unidade de saúde de maior complexidade fica entre 0,2% e 0,5%.

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX