1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Presidente do COI não vê Los Angeles como favorita aos Jogos 2024

- Atualizado: 02 Fevereiro 2016 | 10h 07

Cidade dos EUA enfrenta Roma, Paris e Budapeste

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, apontou vários pontos positivos na candidatura de Los Angeles aos Jogos de 2024 após visitar a cidade norte-americana. Mas se ele tem uma favorita entre as quatro concorrentes a sediar a competição internacional, ele fez questão de não revelá-la.

Bach elogiou a preparação e o profissionalismo da comissão de candidatura de Los Angeles, a chamando de uma forte equipe com uma proposta forte, e apontou uma disputa acirrada pelo direito de sediar o evento. "Nós temos uma competição fascinante pela frente", declarou.

Bach elogia a preparação e o profissionalismo da comissão de candidatura de Los Angeles
Bach elogia a preparação e o profissionalismo da comissão de candidatura de Los Angeles

O presidente do COI visitou as instalações da Universidade da Califórnia em Los Angeles, incluindo uma passagem pelo Pauley Pavilion, a casa da equipa de basquete universitário da cidade. Antes, no último domingo, Bach e sua delegação foram ao Staples Center, onde assistiram ao jogo entre Los Angeles Lakers e Charlotte Hornets, pela NBA.

Além do prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, ele também foi acompanhado por grandes estrelas da história da Olimpíada, como o velocista Carl Lewis e a ginasta Nadia Comaneci.

Los Angeles enfrenta Roma, Paris e Budapeste pelo direito de sediar a Olimpíada de 2024. A cidade portuária alemã de Hamburgo deixou a disputa após a sua candidatura ser rejeitada em um referendo. O COI vai definir a sede em 2017.

A visita de Bach ocorreu cinco meses após Los Angeles ser escolhida a candidata dos Estados Unidos a sediar o evento internacional, após Boston deixar a disputa. Los Angeles organizou duas edições dos Jogos Olímpicos, em 1932 e 1984.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX