Shizuo Kambayashi/AP
Shizuo Kambayashi/AP

Tóquio intensifica obra de estádio para Olimpíada com instalação de arquibancadas

Ministro olímpico do Japão diz que construção está dentro do cronograma estabelecido

Estadão Conteúdo

12 Setembro 2017 | 12h38

As arquibancadas do Estádio Olímpico de Tóquio começaram a ser instaladas depois de dez meses de trabalho na fundação da obra. A dois anos do prazo para que o local fique pronto, os operários contratados pela organização da próxima edição dos Jogos trabalham com 22 guindastes para terminar o estádio, que já começa a ganhar forma.

Em uma visita nesta terça-feira ao novo Estádio Nacional, o ministro olímpico do Japão, Shunichi Suzuki, disse que a construção progride de acordo com o cronograma estabelecido e elogiou a eficiência das obras.

Ele indicou que será necessário implementar toda a tecnologia possível para que o estádio esteja pronto no prazo de novembro de 2019, mas advertiu que os trabalhadores não devem acumular um número excessivo de horas extras. "As condições de trabalho devem obedecer as normas legais", disse.

Suzuki mencionou o suicídio no ano passado de um operário que estaria ligado ao excesso de trabalho, e falou sobre as preocupações em relação ao ambiente de trabalho na obra. O ministro também lembrou que a principal construtora, a Taisei Corp., e o Conselho Esportivo do Japão, a entidade governamental que administrará o estádio, devem garantir que os trabalhadores não sejam explorados.

A construção estava atrasada por mais de um ano quando começou, e um primeiro projeto do estádio foi descartado pelo seu alto custo. O governo, posteriormente, aprovou um projeto de US$ 1,5 bilhão (aproximadamente R$ 4,7 bilhões). A obra envolve, atualmente, mil operários por dia. Serão necessários 3 mil pessoas por dia quando se trabalhará no teto, no exterior e no interior do estádio de forma simultânea.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.