Fabio Motta|Estadão
Fabio Motta|Estadão

Vôlei de Praia troca a orla da praia do Rio de Janeiro pelo Centro de Tênis

Apesar de toda areia à beira-mar, os jogos foram levados para o Centro de Tênis, no Parque Olímpico da Barra, que tem piso duro

Marcio Dolzan, Rio de Janeiro, O Estado de S.Paulo

17 Maio 2017 | 07h00

Começa nesta quarta-feira a etapa brasileira do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. A competição será realizada no Rio, cidade que possui mais de 72 quilômetros de praia. O curioso é que, apesar de toda areia à beira-mar, os jogos foram levados para o Centro de Tênis, no Parque Olímpico da Barra, que tem piso duro. A disputa termina no domingo.

Para viabilizar a disputa, nada menos do que 1.700 toneladas de areia “de alta qualidade” foram despejadas no local. A quadra principal já havia sido montada em fevereiro para a disputa de outro torneio, enquanto outras cinco foram criadas agora ao lado da arena.

O Centro de Tênis é uma das quatro arenas do Parque Olímpico administradas pelo governo federal. A Autoridade de Governança do Legado Olímpico (Aglo), autarquia vinculada ao Ministério do Esporte responsável pelo local, informou ao Estado que a escolha pela arena “foi definida pela Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) em conjunto com a Aglo, sem custos para o governo federal e vantajosa financeiramente para a própria CBV”. 

Ainda segundo a Aglo, o acordo foi positivo para o “legado olímpico” – as arenas do parque vêm sendo pouco utilizadas desde o término da Paralimpíada, em setembro. 

“A contrapartida da CBV resultará em R$ 60 mil em benfeitorias a instalações esportivas que compõem o legado olímpico, além do desenvolvimento de um projeto social para mil crianças”, declarou a autarquia.

As arquibancadas do Centro de Tênis podem acomodar até sete mil pessoas. O acesso será gratuito na fase classificatória, que vai até sexta-feira. Para as semifinais (sábado) e finais (domingo), os ingressos custarão entre R$ 40 e R$ 150. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.