Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Campeã olímpica, Rafaela Silva termina em quinto lugar no Grand Slam de Paris

Esportes

Reprodução/Twitter/CBJ

Esportes

Judô

Campeã olímpica, Rafaela Silva termina em quinto lugar no Grand Slam de Paris

É a primeira competição da medalhista brasileira após os Jogos Olímpicos do Rio

0

Estadão Conteudo

11 Fevereiro 2017 | 17h06

Campeã da Olimpíada do Rio, a judoca Rafaela Silva ficou com a quinta colocação no Grand Slam de Paris na categoria até 57kg, neste sábado. Foi a primeira disputa internacional da brasileira após o inédito ouro olímpico. Em novembro, ela competiu pelo Instituto Reação, no Grand Prix Interclubes, no Brasil.

Por conta da medalha, ela estreou na competição francesa um quimono com um backnumber dourado. Na primeira luta, ela venceu Po Sum Leung, de Hong Kong, graças a uma punição no golden score.

Nas quartas de final, a brasileira perdeu por ippon para sul-coreana Youjeong Kwon. Na repescagem, recuperou-se, mas voltou a ter grande dificuldade para sair com a vitória. Derrotou a canadense Catherine Beauchemin-Pinard, mais uma vez no golden score. Desta vez, valeu a experiência da brasileira que forçou uma segunda punição à adversária.

Na decisão pelo bronze, Rafaela enfrentou a francesa Priscilla Gneto, medalhista de bronze nos Jogos de Londres no meio-leve (52kg). A anfitriã conseguiu pontuar com dois wazaris e levou a medalha.

Também neste sábado, o brasileiro Eric Takabatake terminou em quinto lugar na categoria até 60kg. Ele chegou à sua segunda disputa de bronze seguida - na última semana, ela ficou com o terceiro lugar no Aberto de Odivelas, em Portugal. Em Paris, ele perdeu para Orkhan Safarov, do Azerbaijão, por um wazari.

Antes, derrotou Amarbold Jagvaraldorj, da Mongólia, e Lukhumi Chkhvimiani, da Geórgia, ambos por wazari. Nas quartas, foi superado por Sharafurdim Lutfillaev, do Azerbaijão, por conta de três punições. Na repescagem, venceu o alemão Mortiz Plafky por dois wazaris.

ATLETAS OLÍMPICAS COM SÉTIMOS LUGARES

Sarah Menezes conseguiu evoluir em sua nova categoria. Neste ano, ela deixou a ligeiro (até 48 kg), na qual conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres de 2012, e passou a lutar na meio-leve (até 52 kg).

A brasileira foi melhor do que na estreia da temporada, no Aberto de Sofia, na Bulgária, onde perdeu na segunda luta. Em Paris, ela estreou com vitória por ippon contra Rekka Pupp, da Hungria. Na sequência, superou Gili Cohen, de Israel, por wazari .

Nas quartas de final, a luta contra a norte-americana Angelica Delgado terminou empatada com um wazari para cada lado no tempo regulamentar. A decisão foi para o golden score, quando a brasileira sofreu mais um wazari e foi derrotada. Na repescagem, Sarah levou três punições e foi eliminada por Astride Gneto, da França.

Na mesma categoria, Érika Miranda também ficou em sétimo. Ela venceu o primeiro combate contra Sosorbaram Lkhagvasuren, da Mongólia. Na segunda luta, perdeu por imobilização para a japonesa Natsumi Tsunoda. Na repescagem, a brasileira levou três punições e foi eliminada pela russa Natalia Kuziutina.

ESTREANTES

Três, dos quatro novatos da seleção brasileira, lutaram neste sábado. Daniel Cargnin (66kg) venceu sua primeira luta, contra Juan Postigos, do Peru, mas parou em Vazha Margvelashvili, da Geórgia, depois de levar três punições.

Yanka Pascoalino (63kg) também estreou com vitória sobre Hannah Martin, dos Estados Unidos, por um wazari, mas parou na francesa Margaux Pinot nas oitavas. Larissa Farias (48kg) caiu na estreia. Ela levou o combate contra Anais Mosdier, da França, para o golden score, mas perdeu por um wazari.

O Grand Slam de Paris continua neste domingo. O Brasil terá oito representantes: Maria Portela (70kg), Maria Suelen Altheman (+78kg), Victor Penalber (81kg), Eduardo Yudi Santos (81kg), Luciano Corrêa (100kg), Rafael Buzacarini (100kg), David Moura (+100kg) e Rafael Silva (+100kg). As preliminares começam às 7h e as finais estão programadas para as 14h.

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.