Ethan Miller/AFP
Ethan Miller/AFP

Canelo domina, vence Chávez Jr e anuncia luta contra casaque Golovkin em setembro

Filho do grande boxeador Julio Cesar Chavez é derrotado por melhor pugilista mexicano da atualidade em Las Vegas

Estadão Conteúdo

07 Maio 2017 | 10h22

Com uma aula de boxe sobre Julio César Chávez Jr, Saúl "Canelo" Alvarez venceu o badalado combate entre pugilistas mexicanos em luta encerrada no início da madrugada deste domingo, em Las Vegas, nos Estados Unidos. Embora não tenha conseguido derrotar o seu adversário por nocaute após 12 rounds, Canelo foi declarado vencedor de forma unânime pelos juízes do embate, que foi assistido por 20.510 espectadores.

Melhor boxeador mexicano da atualidade, Alvarez nem precisou esperar a contagem dos pontos por parte dos árbitros para saber que era o vencedor, pois seu domínio foi evidente. O próprio pai de seu adversário, o consagrado ex-pugilista e hoje empresário de boxe Julio César Chávez, balançou a cabeça negativamente ao se dirigir ao ringue antes de os juízes confirmarem a vitória do oponente do seu filho.

Após o triunfo, Canelo aproveitou para também anunciar que a sua próxima luta será contra o casaque Gennady Golovkin, no dia 16 de setembro, quando tentará conquistar os cinturões peso médio. Golovkin hoje detém os títulos do Conselho Mundial de Boxe (CMB), Federação Internacional de Boxe (FIB) e Associação Mundial de Boxe (AMB) desta categoria. O casaque, por sua vez, irá defender contra o adversário mexicano uma invencibilidade de 37 vitórias em 37 combates.

"GGG (como é conhecido Golovkin), você é o próximo, meu amigo. A luta está fechada", avisou Canelo, enquanto o público o aplaudia em Las Vegas, onde esbanjou confiança em um novo triunfo diante do casaque. "Eu nunca tive medo de ninguém, desde que eu tinha 16 anos e já estava lutando como profissional", completou.

Com o triunfo sobre Chávez Jr, Canelo passou a ostentar um cartel de 49 vitórias, uma derrota e um empate em 51 lutas, sendo que ganhou 34 delas por nocaute. Já o seu compatriota agora soma 50 vitórias, três derrotas e um empate, tendo vencido 32 de seus combates por nocaute.

E até pelo grande cartel dos dois pugilistas, a luta realizada neste sábado estava sendo chamada de "Guerra Civil" no México e prometia muito, mas Chávez Jr ficou bem distante de almejar a vitória diante do favorito Canelo, que mostrou maior velocidade diante do rival de maior envergadura que já enfrentou.

Conseguindo conectar um número bem maior de golpes e inibindo a maioria das tentativas de seu adversário de furar a sua guarda, Canelo fez o nariz de Chávez Jr sangrar já no terceiro assalto, para depois deixar a região do olho esquerdo de seu oponente inchada a partir do sexto round. Mais do que isso, ele foi melhor do que o seu compatriota em todos os rounds.

"Esta noite demonstrei que posso me mover, que posso boxear. Demonstrei que como boxeador posso fazer todas as coisas", afirmou o vencedor, de 26 anos de idade, que sofreu a única derrota de sua carreira contra o norte-americano Floyd Mayweather, considerado um dos maiores boxeadores de todos os tempos.

Chávez Jr, de 31 anos, reconheceu que lhe faltou mais velocidade e agressividade para ter chances de derrotar Canelo. Além disso, acredita que o fato de ter perdido peso antes deste combate também lhe tirou parte da força necessária para superar seu compatriota.

"Se eu tivesse atacado mais, teria contra-atacado os seus golpes. Talvez a perda de peso tenha afetado meu desempenho. O meu pai me disse para fazer isso, para encaixar mais socos, mas a estratégia não funcionou", lamentou o pugilista derrotado, que também garantiu que pretende continuar lutando na categoria supermédio, apesar da dificuldade que costuma enfrentar para perder peso.

Mais conteúdo sobre:
Boxe boxe

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.