Getty Images
Getty Images

UFC Oklahoma tem arbitragem de brasileiro polêmica e derrota de lenda

Mário Yamasaki interrompe luta entre Michael Chiesa e Kevin Lee e é criticado até por Dana White

Estadão Conteúdo

26 Junho 2017 | 09h56

A luta era a principal do card e a mais aguardada por todos. Em coletiva de imprensa, os lutadores quase brigaram antes mesmo do evento. Mas o combate entre Michael Chiesa e Kevin Lee teve um protagonista inesperado: o árbitro brasileiro Mário Yamasaki.

Lee encaixou um mata-leão no adversário no primeiro round. Chiesa ainda não havia desistido ou desmaiado, mas ainda assim o juiz brasileiro interrompeu a luta e deu a vitória a Lee. A decisão foi vaiada pela torcida e criticada por Dana White, presidente do UFC, em post no instagram.

 

"Mário Mazagatti fez de novo! Ele está mais preocupado em fazer esse coraçãozinho idiota do que em arbitrar a luta. Roubou um grande momento de Lee ou impediu Mike de lutar e escapar. Ninguém se importa se você consegue fazer um coração com as mãos como uma garotinha de 12 anos, eles querem que você preste atenção na luta e faça o seu trabalho", escreveu o chefe da organização.

Os lutadores projetaram mais um confronto entre eles nas declarações pós luta. "Fiz tudo o que quis, nunca estive em perigo na luta. O juiz mandou eu parar, eu parei. Se ele quiser lutar de novo, podemos lutar. Eu já ia vencer a luta. Geralmente, o cara bate, mas acho que ali não tinha o que fazer. Olhei pro juiz, ele (Chiesa) estava nervoso, eu sou calmo e venci. Michael, se quiser em dezembro, pode ter uma revanche em Detroit", declarou Lee.

Chiesa, por sua vez, não aprovou a decisão do árbitro, mas não quis comentá-la. "Eu estava tentando tirar o braço dele com o cotovelo pra baixo. Mas não vou falar nada do juiz. Agora, Kevin, vou ver você em dezembro, em Detroit", disse, aceitando o convite para a revanche.

 OUTRAS LUTAS

BJ Penn, lenda do UFC, não conseguiu sua primeira vitória após retornar da aposentadoria. O americano perdeu para o alemão Dennis Siver por decisão majoritária dos juízes, que computaram a pontuação em 28-28, 28-27 e 29-27 a favor de Siver. Penn perdeu fôlego no último round e não conseguiu revidar os golpes, sendo até pressionado na grade.

Vitor Miranda foi o único brasileiro a lutar neste domingo. Miranda foi derrotado pelo italiano Marvin Vettori por pontos. Como ficou um ano parado por lesão e perdeu a luta anterior a essa, para Chris Camozzi, o brasileiro está em situação complicada no UFC, correndo risco de sair da organização.

 

Confira todos os resultados:

CARD PRINCIPAL 

Kevin Lee venceu Michael Chiesa por finalização aos 4m37s do R1

Tim Boetsch venceu Johny Hendricks por nocaute técnico aos 46s do R2

Felice Herrig venceu Justine Kish por decisão unânime (30-26, 30-26 e 29-27)

Dominick Reyes venceu Joachim Christensen por nocaute técnico aos 29s do R1

Tim Means venceu Alex Garcia por decisão unânime (triplo 29-28)

Dennis Siver venceu BJ Penn por decisão majoritária (28-28, 29-28 e 29-27)

CARD PRELIMINAR

Clay Guida vence Erik Koch por decisão unânime (29-28, 29-26 e 30-27)

Marvin Vettori venceu Vitor Miranda por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28)

Carla Esparza vence Maryna Moroz por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28)

Darrell Horcher venceu Devin Powell por decisão dividida (29-28, 29-28 e 28-29)

Jared Gordon venceu Michel Quiñones por nocaute técnico aos 4m22s do R2

Tony Martin venceu Johnny Case por decisão unânime (triplo 29-28)

Jeremy Kimball venceu Josh Stansbury por nocaute técnico a 1m21s do R1

Mais conteúdo sobre:
UFC

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.