Tatyana Zenkovich / EFE
Tatyana Zenkovich / EFE

Bellucci confirma inflamação no ombro, mas exibe otimismo para 2ª rodada em Paris

Brasileiro enfrenta o francês Lucas Pouille na próxima fase

Felipe Rosa Mendes, Estadão Conteúdo

29 Maio 2017 | 12h50

Depois de sofrer para confirmar favoritismo em sua estreia no Grand Slam de Roland Garros, no último domingo, quando precisou jogar quatro equilibrados sets para superar o sérvio Dusan Lajovic, Thomaz Bellucci revelou que teve de administrar não apenas as exigências físicas impostas pelo calor de cerca de 30ºC no confronto em Paris. Ele revelou que também sofreu um pouco com dores no ombro na partida que ele ganhou de virada, com parciais de 4/6, 7/5, 6/4 e 6/4.

"Estou com uma inflamação, quando começo a jogar muito (tempo) começa a doer um pouquinho, mas estou tomando anti-inflamatório e dá para administrar. Se fosse outro torneio talvez eu não jogasse, mas Grand Slam eu tenho de jogar", ressaltou o tenista número 1 do Brasil e atual 61º colocado da ATP, posto que passou a ocupar ao cair duas posições na listagem atualizada nesta segunda-feira pela entidade.

Apesar do problema, Bellucci exibiu otimismo ao projetar o duelo que fará na segunda rodada da chave de simples de Roland Garros, na próxima quarta-feira, contra o francês Lucas Pouille, atual 17º colocado da ATP. Apesar de fazer parte do Top 20 e viver boa fase, o tenista da casa sofreu muito para confirmar favoritismo diante do seu compatriota Julien Benneteau, eliminado em uma partida que teve cinco sets, em outro jogo de estreia no último domingo.

"Ele (Pouille) joga muito bem, vem tendo resultados expressivos em outros torneios, fez semifinal em Montecarlo e ganhou agora, se não estou enganado, o Torneio de Istambul (na realidade, o ATP 250 de Budapeste). Com certeza é o favorito neste jogo contra mim, mas estou tranquilo. Ele está motivado por jogar dentro de casa e poder fazer uma boa campanha, mas é um jogo aberto, bem equilibrado, um jogo parelho", aposta Bellucci, por meio de declarações dadas em entrevista coletiva concedida na noite do último domingo na capital francesa.

O brasileiro nunca enfrentou Pouille no circuito profissional, mas conhece bem o adversário, com quem já treinou junto em outras ocasiões. O francês, por sinal, iniciou as disputas de Roland Garros depois de ter sido eliminado nas estreias dos Masters 1000 de Madri e Roma, onde caiu respectivamente diante do seu compatriota Pierre-Hugues Herbert e do norte-americano Sam Querrey.

Mais conteúdo sobre:
tênis Roland Garros Thomaz Bellucci

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.