Bellucci perde para o número 273 do mundo no Torneio de Munique

Brasileiro teve match point, mas tenista alemão conseguiu vencer por 2 sets a 1

Estadao Conteudo

03 Maio 2017 | 10h26

O brasileiro Thomaz Bellucci decepcionou no seu segundo compromisso no Torneio de Munique. Nesta quarta-feira, o número 57 do mundo foi surpreendentemente eliminado ao perder para o alemão Yannick Hanfmann, apenas o 273º colocado no ranking da ATP, por 2 sets a 1, com parciais de 7/6 (7/5), 4/6 e 7/5, em 2 horas e 19 minutos.

Cabeça de chave número 8 do evento alemão, Bellucci havia aberto a sua participação em Munique com uma vitória segura sobre o usbeque Mikhail Kukushkin, em dois sets, mas acabou oscilando demais no duelo com o tenista da casa, chegando inclusive a desperdiçar um match-point.

Agora, a zebra alemã vai duelar nas quartas de final com o vencedor do duelo entre o espanhol Roberto Bautista Agut e o romeno Marius Copil, algoz de Thiago Monteiro, outro brasileiro que participou da chave principal do Torneio de Munique.

Bellucci e Hanfmann trocaram quebras de saque no quarto e quinto games e também nos momentos de definição da parcial, com o brasileiro impedindo que o alemão fechasse a parcial no décimo e no 12º games. No tie-break, porém, o tenista da casa se deu melhor e acabou assegurando o seu triunfo.

O segundo set da partida foi dominado por Bellucci. O brasileiro conseguiu as duas primeiras quebras de serviço da parcial e abriu 5/1. Hanfmann ainda respondeu ao converter um break point, mas não impediu o triunfo do tenista paulista por 6/4.

No terceiro set, Bellucci conseguiu duas quebras de serviço, mas perdeu o seu saque no game seguinte. Foi assim no décimo, quando o brasileiro liderava o placar por 5/4, teve match point, mas acabou perdendo o seu saque para o alemão. No 12º game, Hanfmann converteu mais um break point, assegurando a sua vitória e a classificação às quartas de final do Torneio de Munique, evento em que iniciou a sua participação no qualifying.

Mais conteúdo sobre:
tênis Thomaz Bellucci

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.