Toby Melville / Reuters
Toby Melville / Reuters

Bia Haddad e Bruno Soares exaltam vitórias nas duplas na Austrália

Soares e o escocês Jamie Murray foram quem tiveram maiores dificuldades na estreia

Estadão Conteúdo

17 Janeiro 2018 | 14h26

Bruno Soares e Beatriz Haddad Maia exaltaram nesta quarta-feira as duras vitórias que conquistaram nas chaves de duplas do Aberto da Austrália, durante esta madrugada, em Melbourne. Soares e o escocês Jamie Murray foram quem tiveram maiores dificuldades na estreia.

+ Dimitrov supera norte-americano em cinco sets e avança no Aberto da Austrália

+ Nadal vence argentino e encara bósnio na 3ª rodada do Aberto da Austrália

Formando a dupla cabeça de chave número cinco, Soares e Murray sofreram para vencer os norte-americanos Frances Tiafoe e Donald Young em três sets, com parciais de 5/7, 6/4 e 6/4. "Foi um jogo duríssimo. Realmente um jogão do começo ao fim", avaliou Soares, ao fim do jogo.

"As condições de jogo estavam bem complicadas no início, com sol e sombra na quadra. Estava difícil de ver a bola e um pouco frustrante para jogar. Depois veio a sombra, ficou bem melhor de jogar, elevamos o nível, o jogo ficou bom e conseguimos fazer a virada. É um jogo para dar muita confiança pra gente", declarou o brasileiro.

Na segunda rodada, Soares e Murray vão enfrentar os vencedores do duelo entre os indianos Leander Paes e Purav Raja e a dupla formada pelo georgiano Nikolaz Bilashvili e pelo austríaco Andreas Haider Maurer.

Após vencer na estreia em simples, Bia teve mais facilidade em seu primeiro jogo na chave de duplas. Ela e a romena Sorana Cirstea bateram a russa Veronika Kudermetova e a bielo-russa Aryna Sabalenka por duplo 6/2, em apenas 54 minutos de jogo.

"Foi a primeira vez que jogamos juntas e foi muito positivo. Conseguimos jogar bem, soltas, devolvemos muito bem e fiquei feliz com o resultado", comentou Bia. As futuras adversárias de Bia e Cirstea vão sair do duelo entre a polonesa Alicja Rosolska e a norte-americana Abigail Spears e a parceria formada pela francesa Alizé Cornet e pela britânica Heather Watson.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.