Al Bello/AFP
Al Bello/AFP

Campeão da Davis em 2015, Evans é suspenso por um ano após exame apontar cocaína

Tenista admitiu ter feito uso da droga fora do período de competições

Estadao Conteudo

03 Outubro 2017 | 14h02

Membro da equipe da Grã-Bretanha que conquistou o título da Copa Davis em 2015, Daniel Evans foi suspenso por um ano nesta terça-feira após testar positivo para cocaína em exame antidoping. O tenista alegou que fez consumo inadvertido da substância, que estava em uma bolsa de artigos de higiene pessoal.

+ Melo e Kubot levam virada de colombianos e caem na estreia no Torneio de Pequim

Ao anunciar a punição, a Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês) explicou que aceitou o argumento de que o "consumo inadvertido" foi o responsável pelo resultado positivo no exame antidoping realizado em abril, durante a disputa do Torneio de Barcelona.

Evans explicou a uma comissão da ITF que ele usou uma pequena quantidade de cocaína fora do período de competições. Ele então colocou a droga em uma pequena bolsa de viagem que também continha uma medicação aprovada que ele tomou durante o Torneio de Barcelona. A ITF aceitou o argumento de que os dedos ou a medicação de Evans foram contaminados por resíduos de cocaína.

Evans, de 27 anos, está suspenso do tênis até 23 de abril de 2018. Ele também perdeu 103 mil euros (aproximadamente R$ 383 mil) em premiações e os pontos no ranking dos torneios que disputou entre o final de abril e junho.

"O senhor Evans teve concedido crédito por sua pronta admissão", afirmou a ITF, que também destacou o "tempo e as despesas economizados ao se chegar se chegar a um acordo" ao invés de ser realizada uma audiência para o julgamento do ex-Top 50 do ranking da ATP.

Mais conteúdo sobre:
Tênis Doping

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.