Lucas Coch/ EFE
Lucas Coch/ EFE

Cilic critica teto fechado na final do Aberto da Austrália

'Primeira partida indoor é logo a final. É difícil', lamentou tenista após derrota para Roger Federer

Estadão Conteúdo

28 Janeiro 2018 | 14h34

O tenista croata Marin Cilic evitou culpar o teto retrátil fechado por sua derrota na final do Aberto da Austrália, neste domingo, em Melbourne. Mas o vice-campeão criticou a decisão de iniciar a final contra o suíço Roger Federer em condições indoor, após ter jogado todas as partidas do torneio com o teto aberto.

+Federer admite pressão e nervosismo e diz que teve 'sorte' em final na Austrália

Wozniacki derrota Halep e vence primeiro Grand Slam da carreira

"Durante toda a competição, joguei todas as minhas partidas em formato outdoor. E também me preparei para jogar em dias quentes, com 38 graus. Então, a primeira partida indoor é logo a final. É difícil", lamentou o croata, que subirá para o posto de número 3 do mundo a partir desta segunda-feira.

A decisão de fechar o teto neste domingo causou polêmica entre fãs e até ex-tenistas famosos. Houve críticas nas redes sociais por causa do suposto favorecimento a Roger Federer na final. O suíço é conhecido por jogar melhor em condições indoor, principalmente sobre quadra dura, caso do Aberto da Austrália.

A organização do primeiro Grand Slam do ano alegou que decidiu fechar o teto por conta do forte calor neste domingo. Antes do início da partida, os termômetros marcavam 37 graus. Segundo os organizadores, as condições de temperatura e umidade atingiram o nível exigido para acionar a Política de Calor Extremo, que permite o fechamento do teto em caso de excesso de calor.

"Eles não me perguntaram nada sobre fechar o teto. Eles apenas vieram até mim e falaram que poderiam fechar e que tomariam a decisão um pouco antes do início do jogo. Eles poderiam ter tomado outra decisão para este caso? Acho que sim", reclamou o croata. "Quando o teto foi fechado, estava muito mais fresco do que eu esperava. Lá fora estava uns 38 graus, lá dentro tinha uns 23, 24 graus. Essa variação é muito ruim, principalmente para uma final."

Apesar da crítica, Cilic evitou culpar o teto pela derrota em cinco sets. "Não sei se foi uma vantagem para Roger. Estou olhando apenas pelo meu lado. E eu não enfrentei estas situações antes. Tive um começo de jogo mais lento, perdi dois saques e depois fiquei atrás do placar quase o tempo todo", comentou

O croata disse ter ficado satisfeito com o seu rendimento na final, apesar da derrota. "No geral, estou muito feliz com a performance. Joguei um tênis muito bom ao longo destas duas semanas. Tive partidas difíceis, rivais complicados, venci Rafa [Nadal], cheguei à final, o que é incrível. Analisando o meu jogo, acho que melhorei bastante", analisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.