1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Djokovic bate Federer, leva bicampeonato de Wimbledon e vira nº 1

AE - Agência Estado

06 Julho 2014 | 14h 25

Com a vitória sobre o suíço, tenista sérvio também se vingou da derrota sofrida para o seu antigo rival na final de 2012

Novak Djokovic venceu Roger Federer por 3 sets a 2, com parciais de 6/7 (7/9), 6/4, 7/6 (7/4), 5/7 e 6/4, em uma batalha de três horas e 56 minutos, e faturou neste domingo, 6, o bicampeonato de Wimbledon. Campeão do Grand Slam inglês também em 2011, o sérvio ainda assegurou o seu retorno ao topo do ranking mundial, deixando o espanhol Rafael Nadal como vice-líder, ao voltar a triunfar na grama de Londres.
Com a vitória sobre o suíço, Djokovic também se vingou da derrota sofrida para o seu velho rival na final de Wimbledon de 2012. Esse foi, por sinal, o 17º triunfo do tenista de Belgrado sobre o adversário, que levou a melhor sobre o sérvio em outros 18 duelos.

Para Federer, o consolo para a derrota nesta decisão, na qual ele buscava o seu oitavo título de Wimbledon e o 18º troféu de um Grand Slam, foi o fato de que assumirá nesta segunda-feira, 7, a terceira posição do ranking da ATP, ultrapassando o seu compatriota Stanislas Wawrinka, que cairá para o quarto lugar.

Final em Wimbledon
Ben Curtis/AP

Com a vitória, Djokovic assume o primeiro lugar do ranking. Antes na quarta posição, Federer assume o 3.ª

Esse foi o sétimo título de Grand Slam da carreira de Djokovic, que impediu Federer também de ampliar o seu recorde de títulos da série mais prestigiosa do tênis. Campeão de Wimbledon em 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2009 e 2012, ele segue com 17 títulos de Grand Slam, contra os 14 ostentados por Nadal e pelo norte-americano Pete Sampras, vice-líderes neste ranking dos maiores ganhadores.

O JOGO 

Conforme já era esperado, a final deste domingo foi extremamente equilibrada neste domingo. Sem nenhuma quebra de saque, a disputa do primeiro set foi ao tie-break, no qual Federer foi apenas um pouco melhor para fazer 9/7.

Na segunda parcial, porém, Djokovic começou a sua reação. Com uma quebra de saque obtida em três chances e ao salvar o único break point cedido ao suíço na parcial, ele fez 6/4 para empatar o confronto.

No terceiro set, o equilíbrio voltou a imperar e os dois tenistas confirmaram os seus saques sem oferecer nenhuma oportunidade de quebra, fato que forçou novo tie-break. E desta vez o sérvio colocou pressão sobre o suíço e foi superior para fazer 7/4.

Na frente, Djokovic se viu muito próximo da vitória no quarto set, no qual chegou a conquistar duas quebras de saque e abriu 5/2. Federer, entretanto, devolveu uma quebra e safou de um match point quando sacava em desvantagem de 5/4. E o fez com um ace, para em seguida conseguir novo ponto de saque e depois empatar em 5/5. E, no 11º game, o suíço converter novo break point, em sua terceira quebra nesta parcial, e depois sacou para fazer 7/5 e empatar o jogo.
No quinto e derradeiro set, Djokovic solicitou atendimento médico logo após vencer o terceiro game e abrir 2/1. Aparentemente com um incômodo em um dos joelhos, voltou para quadra e conseguiu seguir atuando normalmente. Mesmo pressionado, conseguiu manter os seus saques e ainda converter um de quatro break points para assegurar o triunfo por 6/4 para liquidar o jogo. Extremamente feliz com seu feito, ele comeu a "grama sagrada" de Wimbledon para festejar a conquista, que lhe garantiu também um prêmio de 1,76 milhão de libras (cerca de R$ 6,7 milhões).