Assine o Estadão
assine

Esportes

Roger Federer

Djokovic e Federer avançam e se enfrentam no Aberto da Austrália

Japonês Kei Nishikori e checo Tomas Berdych ficam pelo caminho

0

Estadão Conteúdo

26 Janeiro 2016 | 09h50

O sérvio Novak Djokovic e o suíço Roger Federer voltarão a se enfrentar no Aberto da Austrália. Nesta terça-feira, eles derrotaram o japonês Kei Nishikori e o checo Tomas Berdych, respectivamente, em partidas definidas em sets diretos e agora vão duelar nas semifinais do primeiro Grand Slam da temporada, em Melbourne.

Federer foi o primeiro a entrar em quadra e a vencer. O número 3 do mundo derrotou Berdych, o sexto colocado no ranking da ATP, com parciais de 7/6 (7/4), 6/2 e 6/4, em 2 horas e 16 minutos, com uma grande atuação na Rod Laver Arena.

O triunfo desta terça foi o 16º de Federer em 22 partidas com Berdych e manteve o suíço na luta pelo seu quinto título do Aberto da Austrália e a 19ª conquista dos torneios do Grand Slam. Além disso, o número 3 do mundo vai jogar pela 39ª vez nas semifinais das quatro principais competições do tênis, sendo a 12ª em Melbourne.

Nesta terça, foi Berdych quem conseguiu a primeira quebra de saque da partida, no terceiro game. Porém, Federer converteu um break point na sequência e igualou o placar da parcial, que acabou sendo definida apenas no tie-break, com vitória do suíço por 7/4.

Esse equilíbrio não se repetiu no segundo set. Federer já começou a parcial com uma quebra de saque e conseguiu outra no sétimo. Logo depois, confirmou o seu serviço e fechou a parcial em 6/2.

No terceiro set, Berdych esboçou uma reação ao conseguir uma quebra de saque no começo da parcial, mas Federer conseguiu devolvê-la. No nono game, o suíço converteu mais um break point. Depois, sacou para fechar a parcial em 6/4 e o jogo em 3 a 0, avançando em Melbourne.

Já Djokovic conseguiu nesta terça a sua 19ª vitória consecutiva nos torneios do Grand Slam, se classificando para a 29ª semifinal desses torneios, sendo a sexta no Aberto da Austrália, onde é o atual campeão e acumula cinco títulos. Aliás, todas as vezes em chegou às semifinais em Melbourne, o sérvio foi campeão.

Nesta terça, em 2 horas e 7 minutos, Djokovic superou Nishikori, o sétimo colocado no ranking da ATP, por 3 a 0, com parciais de 6/3, 6/2 e 6/4. Para isso, o número 1 do mundo se aproveitou dos vários erros não-forçados do japonês - foram 54, exatamente o dobro do sérvio. Com isso, ampliou a sua vantagem no confronto direto para 6 a 2.

No primeiro set, Djokovic converteu o único break point que teve na parcial, no sexto game, quando Nishikori chegou a abrir 40/0, mas acabou perdeu o seu saque com uma dupla falta. O sérvio se aproveitou e fechou a parcial em 6/3.

Em vantagem, Djokovic se aproveitou da instabilidade e dos vários erros de Nishikori para vencer o segundo set com mais facilidade. O número 1 do mundo conseguiu uma quebra de saque logo no primeiro game e outra no quinto para aplicar 6/2 no asiático.

O terceiro set do duelo registrou os maiores momentos de oscilação dos tenistas, tanto que eles "trocaram" quebras de serviço entre o segundo e o quinto game. Depois, porém, Djokovic se impôs e conseguiu a última quebra de saque do jogo no sétimo game e encaminhou a sua vitória, definida por 6/4.

A partida entre Federer e Djokovic será a 45ª entre eles. O sérvio lidera o confronto direto por 23 a 21, mas perdeu o último duelo, no ano passado, em Londres, pelo ATP Finals. Nos torneios do Grand Slam, o número 1 do mundo soma oito vitórias e seis derrotas. Já em Melbourne, a vantagem de Djokovic é de 2 a 1.

Comentários