Rick Rycroft / AP
Rick Rycroft / AP

Dona de 2 títulos em Melbourne, Azarenka ganha convite para Aberto da Austrália

Atleta está em disputa judicial para que filho de um ano possa acompanhá-la nos torneios

Estadão Conteúdo

13 Dezembro 2017 | 12h18

Dona de dois títulos do Aberto da Austrália, a tenista bielo-russa Victoria Azarenka recebeu convite para voltar a competir no Grand Slam disputado em Melbourne, em janeiro de 2018. A ex-número 1 do mundo precisava do "wild card" para entrar na chave principal porque ocupa agora a 210ª colocação do ranking.

+ Brasil terá apenas Bia Haddad na chave principal de simples na Austrália

+ Melo/Kubot, Nadal e Muguruza são eleitos 'Campeões Mundiais' pela ITF

Azarenka, campeã em Melbourne em 2012 e 2013, não compete neste Grand Slam desde 2016. Neste ano ela ficou de fora porque estava grávida. Na verdade, a tenista disputou apenas duas competições neste ano, em Mallorca, na Espanha, e em Wimbledon. Desde então, ela está afastada das quadras.

A bielo-russa perdeu a primeira metade da temporada por causa do processo de recuperação física após a gravidez. Na sequência, ficou de fora de alguns torneios, mesmo já recuperada, por conta de uma disputa judicial pela custódia do seu filho Léo, que completará um ano neste mês.

Azarenka queria levar seu filho para acompanhá-la em algumas competições, como o US Open, mas o pai do filho a impediu judicialmente. Segundo a ação, a tenista não poderia tirar o filho do estado da Califórnia, nos Estados Unidos.

Em razão destas questões, a atleta disputou apenas seis partidas oficiais neste ano. Como consequência, ela despencou no ranking. Após começar a temporada como a 13ª colocada do mundo, Azarenka termina 2017 apenas como a 210ª.

Em comunicado, a organização do Aberto da Austrália se colocou à disposição para ajudar Azarenka a participar da edição do torneio que terá início no dia 15 de janeiro. "A situação atual dela é obviamente muito difícil e oferecemos todo e qualquer suporte que podemos", declarou Craig Tiley, diretor do Aberto da Austrália.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.