Samuel Kubani/ AFP
Samuel Kubani/ AFP

Em baixa, Djokovic rompe com técnico Marian Vajda após quase 11 anos de parceria

Para melhorar seu nível, sérvio também anuncia o fim da relação com o preparador físico e o fisioterapeuta

Estadao Conteudo

05 Maio 2017 | 11h06

O sérvio Novak Djkovic, atual número 2 do ranking mundial, encerrou a parceria de quase 11 anos com o técnico eslovaco Marian Vajda. O anúncio foi feito nesta sexta-feira por meio do site oficial do tenista. Ele também comunicou o fim da relação profissional com o preparador físico Gebhard Phil Gritsch e o fisioterapeuta Miljan Amanovic.

Em nota, o atleta agradece a parceria e o comprometimento da equipe e diz que a decisão veio por conta de uma análise detalhada dos jogos e resultados recentes. Djokovic diz estar buscando melhorar seu nível de jogo e recuperar a "faísca da vitória" nas quadras.

"Sei que eles se dedicaram completamente para me ajudar a conquistar meus objetivos e sonhos. Não foi uma decisão fácil", explica o sérvio. "Sou muito grato e tenho orgulho da relação e do laço que criamos durante esses anos de amor, respeito e compreensão. Estou começando algo novo e gosto deste desafio. Sou um caçador e meu maior objetivo é encontrar a faísca da vitória nas quadras outra vez".

Em baixa desde quando deixou a liderança do ranking mundial durante a edição do ano passado de Roland Garros, Djokovic vem acumulando decepções. Ainda em 2016, foi eliminado precocemente em Wimbledon e na Olimpíada do Rio, assim como perdeu a final do US Open para o suíço Stan Wawrinka. Neste ano, após ter aberto bem a temporada conquistando um título em Doha ao bater Andy Murray, atual número 1 do mundo, na final, não passou da segunda rodada do Aberto da Austrália, foi eliminado nas quartas de final em Montecarlo e em Acapulco e parou nas oitavas em Indian Wells.

Djokovic diz não ter pressa para encontrar um novo técnico e que vai trabalhar sozinho até achar a pessoa certa. "Quero encontrar meu caminho de volta ao topo e tenho muita fé nesse processo. Vai levar tempo até encontrar a pessoa certa com quem eu possa me conectar profissionalmente. Não vou me apressar e vou trabalhar sozinho por enquanto", explicou.

Em dezembro do ano passado, o sérvio também encerrou a parceria com o alemão Bois Becker, um de seus treinadores durante o período em que dominou o circuito profissional. Becker estava na equipe do atleta desde dezembro de 2013.

Mais conteúdo sobre:
Novak Djkovic Tênis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.