Clarissa Machado Santos
Clarissa Machado Santos

Façanha de Guga em Roland Garros vai virar documentário

Filme contará trajetória do catarinense desde a infância

Felipe Rosa Mendes, enviado especial a Florianópolis, O Estado de S.Paulo

18 Março 2017 | 17h00

A marca dos 20 anos do primeiro dos três títulos de Gustavo Kuerten em Roland Garros não vai passar em branco na França. Nas últimas semanas, equipe contratada pela Federação Francesa de Tênis acompanhou o ex-tenista em Florianópolis para a gravação de um documentário sobre a surpreendente conquista - até hoje Guga é o único a vencer um Grand Slam sem antes levantar um troféu de nível ATP.

O documentário, ainda sem título, vai contar um pouco sobre a trajetória do catarinense, desde a infância, a partir de entrevistas com sua mãe, Alice Kuerten, o irmão Rafael e o primeiro treinador, Carlinhos.

Nas gravações, Guga contou sobre o assombro que causou ao ser campeão em Paris, mesmo sendo apenas o número 66 do ranking, na época. A surpresa já faz parte da história da competição. Ele e os familiares revelam como não tinham ideia do que significava a conquista, a importância em nível mundial e a repercussão que teria no Brasil.

Em uma revelação que não consta na sua autobiografia, ele revela que aos 15 anos construiu junto com o técnico Larri Passos a quadra de saibro do Hotel Maria do Mar, em Florianópolis. Juntos, pregaram até as fitas de marcação no chão. Para Guga, a construção em parceria com Larri marcou uma espécie de "pacto" entre pupilo e treinador no começo da parceria que renderia ao tenista o tricampeonato em Paris e o topo do ranking ao catarinense.

O documentário será lançado pouco antes do início de Roland Garros, no fim de maio. Em Paris, Guga também será homenageado pelo Hall da Fama do tênis, do qual já é integrante desde 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.