Ap Photo/ Natacha Pisarenko
Ap Photo/ Natacha Pisarenko

Feijão ganha batalha de quase 5 horas e Brasil faz 1 a 0 na Argentina

Brasileiro derrota Carlos Berlocq por 3 sets a 2 na abertura da Davis

Estadão Conteúdo

06 Março 2015 | 16h37

Foi uma verdadeira batalha de quase cinco horas de duração, na qual João Souza, o Feijão, mostrou muita raça, determinação, mas acima de tudo equilíbrio psicológico. Tudo isso foi necessário para que ele buscasse uma incrível virada sobre Carlos Berlocq, em Buenos Aires, vencesse por 3 sets a 2, com parciais de 6/4, 3/6, 5/7, 6/3 e 6/2, e colocasse o Brasil em vantagem na primeira rodada do Grupo Mundial da Copa Davis diante da Argentina: 1 a 0.

O resultado, após 4h57min de jogo, calou a torcida da casa no Tecnópolis em Buenos Aires, mas empolgou os muitos brasileiros que compareceram ao local. Com o triunfo, o País saiu em vantagem no duelo, que terá a segunda partida de simples disputada ainda nesta sexta-feira, com Leonardo Mayer diante de Thomaz Bellucci. No sábado, acontece a partida de duplas: Federico Delbonis/Diego Schwartzman x Marcelo Melo/Bruno Soares. Os últimos dois jogos de simples estão marcados para domingo.

E Mayer já entrará extremamente pressionado diante de Bellucci, precisando da vitória para manter a Argentina viva no confronto, uma vez que a dupla brasileira é considerada grande favorita para o jogo de sábado. Se Bellucci vencer e Soares e Melo levarem a melhor no sábado, o Brasil avança às quartas de final, na qual enfrentaria o vencedor do duelo entre Sérvia e Croácia - os sérvios estão na frente por 2 a 0.

Nesta sexta, Feijão coroou uma semana que começou extremamente positiva para ele. Na segunda-feira, o tenista assumiu a posição de número 1 do Brasil, ultrapassando Bellucci, em 75.º no ranking da ATP. E Feijão mostrou o porquê desta ascensão no primeiro set diante de Berlocq. Dominante, arrancou no fim da parcial para sair na frente no duelo.

Só que no segundo set quem voltou melhor foi Berlocq. Aos poucos, o argentino foi minando a confiança do brasileiro e deixou tudo igual. Na terceira parcial, Feijão voltou a mostrar superioridade, largou bem com uma quebra logo no início e teve o saque na mão para fazer 2 a 1.

Mas foi aí que o lado psicológico pesou. Depois de um longo décimo game, no qual Feijão chegou a ter três set points, Berlocq conseguiu a quebra e, embalado, voltou a aproveitar um break point no saque do brasileiro para fechar em 7/5.

Parecia que a partida estava nas mãos de Berlocq. Superior, o argentino conseguiu uma quebra logo no início do quarto set e precisava somente confirmar seus serviços para fechar a partida. Só que Feijão não estava disposto a se entregar. Mais uma vez, o brasileiro mostrou a mesma força mental das ótimas campanhas no Brasil Open e no Rio Open, devolveu a quebra e arrancou para o empate.

O jogo virava mais uma vez e Feijão era quem estava em alta, mas desta vez o brasileiro não reduziu. No quinto e decisivo set, ele mostrou estar em estado físico muito melhor que o adversário e o quebrou logo no início. Com mais uma quebra no sétimo game, o tenista número 1 do País consolidou o triunfo para alegria da torcida brasileira em Buenos Aires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.