Guga ganha um dia para encarar Safin

O primeiro obstáculo Gustavo Kuerten já passou no Aberto dos Estados Unidos. Para enfrentar o russo Marat Safin, segundo do ranking mundial, na segunda rodada, o brasileiro 46º do mundo ganhou mais um dia para se preparar. Seu duelo ficou para sexta-feira. O confronto é um dos mais esperados em Flushing Meadows, Nova York. O russo foi campeão do torneio no ano 2000, derrotando Pete Sampras na final por 6/4, 6/3 e 6/3. Guga e Safin se enfrentaram cinco vezes no circuito profissional. O russo, que tem uma direita potente, também é mais forte e mais alto que Guga: 1,93 m de altura e 88 kg. O brasileiro tem 1,90 m e 75 kg. Mas Guga venceu os dois últimos confrontos, no ano 2000, em Indianápolis e Hamburgo. Safin ganhou em 1999, no Masters Series de Paris e no Aberto da Austrália, e em 1998, em Roland Garros. Este ano, porém, o russo de 22 anos está fazendo melhor campanha: tem 38 vitórias e 16 derrotas. Guga, que passou por uma artroscopia no quadril em fevereiro e ficou dois meses parado, tem 13 vitórias e 10 derrotas. O técnico Larri Passos disse que gostou muito da firmeza mental de Guga na partida de estréia, contra o francês Julien Boutter. ?Ele jogou com o coração e na hora que a partida estava mais difícil ficou lutando, conseguiu se superar e é assim que ele tem de continuar. Quando começamos a treinar para o torneio eu disse a ele que alguns sacrifícios teriam de ser feitos. Passamos mais de três horas na quadra todos os dias e às vezes o Guga saía realmente esgotado. Mas o resultado do trabalho está aí. Na terça-feira, por exemplo, ele conseguiu variar muito o saque dele e apesar de não fazer muitos aces (saques sem defesa), teve 61% de aproveitamento. Contra o Safin ele vai precisar fazer a mesma coisa?, afirmou o técnico. Guga nesta quarta-feira trabalhou a parte física pela manhã, foi para Flushing Meadows no início da tarde, treinou com Larri e no final do dia faria outro bate-bola com o treinador. A vitória lhe garantiu 35 pontos para o ranking mundial e outros sete na Corrida dos Campeões. Se vencer novamente, Guga ficará com 75 e 15, respectivamente. O brasileiro chegou às quartas-de-final em 2001 e tem 250 pontos para defender na competição. ?Foi muito bom sair da quadra com a vitória, especialmente vencendo um cara que já tinha ganhado de mim duas vezes?, disse Guga sobre Boutter. ?Fui me sentindo melhor e melhor ao longo da partida e no final mesmo acelerei e mantive a liderança como o Rubinho Barrichello, na corrida passada. Ganhei muita confiança para o meu próximo jogo, que para mim vai ser o jogo do torneio. Vou me motivar bastante para jogar e tentar surpreender o Safin.?

Agencia Estado,

28 Agosto 2002 | 19h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.