Guga testa confiança no US Open

Gustavo Kuerten vai testar sua confiança, nesta terça-feira, por volta das 18 horas, de Brasília, na estréia no Aberto dos Estados Unidos. O canal Sportv promete transmitir a partida. O tenista brasileiro, depois de 20 dias de uma combinação de treinos e preparação psicológica, enfrentará o francês Julien Boutter, 54º do ranking. Guga está em 46º lugar. Fernando Meligeni, 60º do mundo, também estréia contra o argentino Agustin Calleri, 45º. Flavio Saretta, 71º, só jogará nesta quarta-feira contra o dinamarquês Kenneth Carlsen, 106º. Guga estará no Louis Armstrong Stadium, o segundo mais importante de Flushing Meadows. Nesta segunda-feira, ele bateu bola em dois períodos. No início da tarde treinou com Saretta e no final do dia o treino, de 1h30, foi com o técnico Larri Passos. O brasileiro tem 250 pontos para defender na competição. Se perder, pode deixar a condição de melhor do País, que carrega há seis temporadas. Mas ele, que passou por uma artroscopia no quadril em fevereiro, diz que está confiante. Mesmo sabendo que não conseguiu vencer nas duas vezes que enfrentou Boutter. ?Estou até surpreso como cresci nesses últimos dias. Sei que tenho um jogo duro pela frente, mas estou feliz de estar no torneio. De repente posso deslanchar se ganhar um jogo. Mas também, independente do resultado da partida, estou muito satisfeito com a minha evolução.? Meligeni também considera sua estréia perigosa. ?Sempre que joguei contra o Agustin foi complicado. Ele tem muita personalidade e luta bastante. Vai ser um lindo jogo. Não dá para pedir uma boa rodada nesse torneio, todos os jogos são duros.? Meligeni enfrentou o argentino três vezes e perdeu duas. O primeiro dia de torneio foi emocionante, com homenagens a bombeiros e policiais mortos nos ataques de 11 de setembro em Nova York e hasteamento de uma bandeira dos Estados Unidos encontrada nos escombros do World Trade Center. A segurança está reforçada em Flushing Meadows. Está proibido o uso de guarda-chuvas (há a possibilidade de se usar os cedidos pelo próprio torneio), mochilas e câmeras de vídeo. Se o controle aumentou em relação à segurança, o acompanhamento sistemático dos jogos já vem sendo feito há algum tempo. Os observadores vêm notando que as mulheres estão batendo cada vez mais forte na bola, no torneio. No ano passado as tenistas marcaram um total de 616 aces (saques sem defesa) contra 415 conseguidos em 1997. Serena Williams, por exemplo, vice do ano passado, marcou 62 aces na competição contra 45 de sua participação em 2000. Nesta segunda-feira, a russa Anastasia Myskina marcou seis aces na estréia, na vitória sobre a espanhola Marta Marrero por 4/6, 6/4 e 6/0.

Agencia Estado,

26 Agosto 2002 | 20h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.