Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Esportes

Esportes » Kerber surpreende Serena e conquista o Aberto da Austrália

Tênis

Filip Singer/EFE

Kerber surpreende Serena e conquista o Aberto da Austrália

Alemã supera número 1 do mundo com vitória por 2 sets a 1

0

Estadão Conteúdo

30 Janeiro 2016 | 09h18

Serena Williams entrou em quadra neste sábado como grande favorita ao título do Aberto da Austrália. Para muitos, a decisão diante da surpresa Angelique Kerber era apenas uma questão de formalidade. Mas quem esperava uma conquista tranquila da norte-americana, viu a alemã se agigantar, voltar à disputa após diversas frustrações durante a partida e faturar seu primeiro Grand Slam na carreira.

Kerber exibiu um tênis praticamente perfeito para derrotar aquela que é uma das principais jogadoras da história da modalidade. Em uma batalha de pouco mais de duas horas, venceu por 2 sets a 1, com parciais de 6/4, 3/6 e 6/4, e triunfou logo na primeira vez em que foi a uma final de Grand Slam na carreira.

Até então, o melhor resultado de Kerber em um dos quatro principais torneios do circuito havia sido as semifinais em Wimbledon e no US Open. E ninguém esperava nada além disso da cabeça de chave número 7 do Aberto da Austrália em Melbourne, onde ela sequer havia chegado às quartas de final em suas oito participações anteriores.

Com a conquista, Kerber não só surpreendeu o mundo do tênis como impediu que Serena igualasse a marca de sua compatriota Steffi Graf, com 22 títulos de Grand Slam. Esta, aliás, foi a primeira vez que a norte-americana, número 1 do mundo, foi derrotada em uma decisão do Aberto da Austrália, onde ela já havia faturado seis títulos.

A grande conquista de Kerber começou a ser desenhada no primeiro set deste sábado. A alemã mostrou que não daria vida fácil ao potente saque de Serena e o quebrou logo no terceiro game. A norte-americana até conseguiu devolver, mas viu sua adversária aproveitar outro break point no sétimo game para não mais perder a ponta.

Mas Serena não é uma das melhores da história à toa e voltou para o jogo na parcial seguinte. Mais agressiva, conseguiu uma quebra no quarto game e desta vez não deu chances para que a adversária se recuperasse, empatando a partida.

Quando parecia que Serena assumiria o comando do jogo, Kerber surpreendeu mais uma vez e voltou ainda melhor no set de desempate. Buscou uma quebra logo de cara e parecia pronta para vencer. Só que mais uma vez, a líder do ranking voltaria a frustrar a expectativa da adversária com uma nova quebra.

O sexto game do terceiro set acabou sendo o melhor da partida. Serena mostrou toda sua qualidade no saque, acelerou o jogo, mas encontrou uma Kerber inspiradíssima do outro lado, defendendo como podia e ousando com deixadinhas nos pontos mais decisivos. Falou mais alto a ousadia da alemã, que buscou a quebra.

O nono game poderia ser o decisivo. Kerber sacava para fechar, mas sentiu a pressão. Cometeu erros bobos nos dois primeiros pontos, viu Serena ter duas chances de quebra e confirmar a segunda para voltar ao jogo. Só que se a alemã teve um mérito neste sábado, foi controlar bem as emoções.

Parecia um roteiro já conhecido. Serena aproveitaria a insegurança de sua adversária para impor sua força e experiência e virar o jogo. Mas não foi o que aconteceu desta vez. Kerber se recuperou rapidamente da frustração do saque quebrado, atacou o saque da norte-americana e a incomodou. Quando teve seu único ponto para o campeonato, aproveitou, devolveu bem o saque da adversária e contou com o erro dela para alcançar o inesperado.

Quando o voleio de Serena quicou fora da quadra, Kerber foi ao chão, em um merecido choro de quem sequer era apontada como candidata a chegar à decisão do torneio. E de quem derrotou uma adversária que parecia invencível para conquistar seu primeiro Grand Slam na carreira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.