Geoff Burke / USA Today Sports
Geoff Burke / USA Today Sports

Muguruza faz história como nova líder da WTA e Stephens tem arrancada após título

Angelique Kerber passou boa parte do ano na liderança, mas agora está na 14ª posição

Estadão Conteúdo

11 Setembro 2017 | 13h37

Embora tenha sido eliminada nas oitavas de final da chave feminina de simples do US Open, Garbiñe Muguruza fez história ao ser oficialmente confirmada, nesta segunda-feira, como nova tenista número 1 do ranking mundial. A espanhola assegurou este posto após a checa Karolina Pliskova, ex-líder e agora quarta colocada, ter sido eliminada nas quartas de final do Grand Slam norte-americano na última quarta-feira.

Muguruza, porém, só assumiu a condição de líder nesta segunda e se tornou apenas a segunda tenista do seu país a figurar na ponta da WTA em todos os tempos. A outra havia sido Arantxa Sánchez Vicário, que alcançou o topo em fevereiro de 1995 e permaneceu por 12 semanas na primeira posição, mas em diferentes períodos (não de forma consecutiva).

A chegada de Muguruza à ponta também faz a Espanha repetir um feito que só outras duas nações conseguiram na história do tênis. Como Rafael Nadal também é o líder do ranking masculino, os espanhóis atingiram um momento histórico em termos de representatividade, pois dois tenistas de uma mesma nação não figuravam no topo das listagens da ATP e da WTA ao mesmo tempo desde 2003, quando Andre Agassi e Serena Williams ocupavam este posto.

Antes disso, o mesmo ocorreu anteriormente em 1991, quando a Alemanha teve Boris Becker e Steffi Graf nas primeiras posições dos respectivos rankings masculino e feminino. Na década de 1980, por sua vez, os Estados Unidos também atingiram o mesmo feito por meio de lendas como Jimmy Connors, Chris Evert, John McEnroe e Martina Navratilova.

Com 6.030 pontos na liderança, Muguruza está pouco à frente da romena Simona Halep, que se manteve na segunda posição e tem 5.965 pontos. A ucraniana Elina Svitolina, por sua vez, subiu da quarta para a terceira posição, com 5.640, enquanto a checa Karolina Pliskova agora tem 5.220 no quarto lugar.

E o Top 5 agora passou a ser fechado pela veterana norte-americana Venus Williams, que subiu quatro posições após avançar às semifinais do US Open. Ex-número 1 e hoje com 37 anos, ela ultrapassou também a dinamarquesa Carolina Wozniacki, que caiu do quinto para o sexto lugar. O Top 10, por sinal, teve outras duas mudanças, com a eslovaca Dominika Cibulkova e a letã Jelena Ostapenko subindo das respectivas 10ª e 12ª posições para a 9ª e a 10ª.

STEPHENS ARRANCA

Apesar do feito de Muguruza e de outras ascensões no Top 10, ninguém subiu mais no ranking feminino nesta segunda-feira do que a norte-americana Sloane Stephens. Surpreendente campeã deste último US Open, ela galgou nada menos do que 66 postos na WTA e agora figura como 17ª tenista do mundo.

Vale lembrar, por sua vez, que Stephens fez o seu retorno ao circuito profissional há apenas seis semanas, quando estava na distante 957ª posição do ranking, posto para o qual despencou pelo fato de ter ficado 11 meses afastada do circuito profissional por causa de uma grave lesão no pé esquerdo.

KERBER DESPENCA

Outro fato a ser destacado na atualização do ranking feminino foi a nova queda da alemã Angelique Kerber, ex-número 1, que caiu da sexta para a 14ª posição. Ela defendia em Nova York a condição de atual campeã do US Open, mas decepcionou ao ser eliminada já na estreia, na qual foi arrasada pela japonesa Naomi Osaka.

Entre as brasileiras, Beatriz Haddad Maia subiu da 71ª para a 70ª posição mesmo depois de ter sido eliminada na estreia deste último US Open. Número 1 do Brasil, ela tem 824 pontos e está muito à frente de Teliana Pereira, a segunda colocada do País e apenas a 344ª do mundo, com 120 pontos. A alagoana desceu mais oito posições nesta segunda-feira, enquanto a sua compatriota Paula Cristina Gonçalves caiu três e agora ocupa o 373º posto no geral.

 

Confira a classificação atualizada do ranking da WTA:

1) Garbiñe Muguruza (ESP), 6.030 pontos

2) Simona Halep (ROM), 5.965

3) Elina Svitolina (UCR), 5.640

4) Karolina Pliskova (RCH), 5.220

5) Venus Williams (EUA), 4.756

6) Caroline Wozniacki (DIN), 4.640

7) Johanna Konta (GBR), 4.520

8) Svetlana Kuznetsova (RUS), 4.410

9) Dominika Cibulkova (ESQ), 3.770

10) Jelena Ostapenko (LAT), 3.502

11) Agnieszka Radwanska (POL), 3.460

12) Madison Keys (EUA), 3.403

13) Petra Kvitova (RCH), 3.310

14) Angelique Kerber (ALE), 3.156

15) Kristina Mladenovic (FRA), 3.095

16) CoCo Vandeweghe (EUA), 2.764

17) Sloane Stephens (EUA), 2.711

18) Anastasija Sevastova (LET), 2.295

19) Elena Vesnina (RUS), 2.140

20) Caroline Garcia (FRA), 2.135

70) Beatriz Haddad Maia (BRA), 824

344) Teliana Pereira (BRA), 120

373) Paula Cristina Gonçalves (BRA), 104

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.