Ali Haider/EFE
Ali Haider/EFE

Na estreia, Djokovic arrasa Baghdatis em Indian Wells

Sérvio é o atual campeão do primeiro Masters 1000 do ano

Estadão Conteúdo

15 Março 2015 | 08h01

Atual campeão em Indian Wells, o sérvio Novak Djokovic não teve qualquer problema para vencer em sua estreia, na madrugada deste domingo. O número 1 do mundo precisou de apenas 59 minutos para derrotar o cipriota Marcos Baghdatis por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/3, no primeiro torneio de nível Masters 1000 da temporada.

Djokovic dominou o rival desde o início da partida. Com suas 24 bolas vencedoras e grande eficiência no serviço, o favorito não teve o saque ameaçado em nenhum momento do duelo. Ainda pressionou o fundamento de Baghdatis, que ofereceu pouca resistência e sofreu quatro quebras de saque.

Na terceira rodada, Djokovic vai enfrentar o espanhol Albert Ramos-Vinolas, que avançou ao superar o experiente francês Julien Benneteau por 6/2 e 6/3. Será o primeiro confronto entre o sérvio e o 68º colocado do ranking no circuito profissional.

O espanhol David Ferrer, atual número oito do mundo, também fez sua estreia na noite passada. E teve mais trabalho que Djokovic para confirmar o favoritismo. Contra o croata Ivan Dodig, especialista em duplas, Ferrer precisou de três sets para vencer pelo placar de 4/6, 6/1 e 7/6 (8/6). Seu próximo adversário será o australiano Bernard Tomic. 

DUPLAS

Com estreia na chave de simples prevista para a noite deste domingo, o suíço Roger Federer aproveitou a folga no sábado para iniciar a disputa nas duplas. Mas não teve sucesso e caiu logo na primeira rodada. Ao lado do compatriota Michael Lammer, foi derrotado pelo polonês Marcin Matkowski e pelo sérvio Nenad Zimonjic por 6/3, 3/6 e 11/9.

Em simples, o número dois do mundo vai estrear contra o argentino Diego Schwartzman, 63º do ranking da ATP. Se vencer, Federer pode reencontrar na rodada seguinte o italiano Andreas Seppi, seu algoz na precoce terceira rodada do Aberto da Austrália, em janeiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.