Patrick Kovarick/AFP
Patrick Kovarick/AFP

Sem surpresas, França e Bélgica anunciam convocações para a final da Davis

Equipes mantiveram os mesmos tenistas que entraram em quadra na disputa das semifinais

Estadão Conteúdo

14 Novembro 2017 | 11h46

França e Bélgica anunciaram seus convocados para a final da Copa Davis sem surpresas nesta terça-feira. As duas equipes mantiveram em suas listas os mesmos tenistas que entraram em quadra na disputa das semifinais. A grande decisão está marcada para os dias 24, 25 e 26 deste mês, na quadra dura e indoor do Stade Pierre Mauroy, em Lille, na França.

+ ITF testa mudanças na Davis com jogos em dois dias e melhor de 3 sets

+ Com dores no joelho, Nadal desiste do ATP Finals e encerra temporada

Favorito, o time francês terá Jo-Wilfried Tsonga, atual número 15 do mundo, e Lucas Pouille (18º), além dos duplistas Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut. O capitão Yannick Noah convocou ainda Richard Gasquet e Julien Benneteau como reservas para o duelo em que a França busca o nono título da Davis, e o primeiro desde 2001.

Já a equipe belga, do capitão Johan Van Herck, terá David Goffin, 8º do mundo, e Steve Darcis (76º), além de Ruben Bemelmans e Arthur De Greef. Joris De Loore será o reserva dos visitantes. A maior aposta da Bélgica será Goffin, que chegará embalado à final pela participação no ATP Finals, o prestigiado torneio que reúne os oito melhores da temporada, em Londres, nesta semana.

Na segunda-feira, Goffin brilhou ao derrotar o espanhol Rafael Nadal, atual número 1 do mundo, em sua estreia. Capitão da França na Davis, Noah admite que o tenista do Top 10 é a maior preocupação dos franceses.

"Nossos rivais vão se basear profundamente em apenas um jogador. Eu acredito que somos capazes de vencer o número 1 deles. Se conseguirmos jogar o nosso melhor tênis na próxima semana, seremos os favoritos", declarou o capitão.

Tanto França quanto Bélgica chegam à final vindo de decepções nas últimas decisões disputadas. Os franceses foram vice-campeões em 2002, 2010 e 2014. Já os belgas foram batidos pelos britânicos em 2015.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.