AFP
AFP

Tenista francês força beijo em repórter e perde credencial para Roland Garros

Maly Thomas, do canal "Eurosport", foi quem sofreu com o comportamento de Hamou

O Estado de S.Paulo

30 Maio 2017 | 17h14

Maxime Hamou é uma promessa do tênis francês e, por isso, recebeu um convite da organização de Roland Garros para participar do torneio. Mas não aproveitou. A derrota para o uruguaio Pablo Cuevas logo na estreia foi um resultado normal para um atleta de 21 anos, mas seu comportamento após a partida deixou uma mancha neste seu início de caminhada como profissional.

A repórter Maly Thomas, do canal "Eurosport", foi quem sofreu com o comportamento de Hamou. Em duas oportunidades seguidas, quando tentava entrevistá-lo, foi interrompida com tentativas do tenista de beijar seu rosto, enquanto tentava afastá-lo. Ela ainda insistiu, mas diante de uma nova repetição do francês, o empurrou e encerrou ali a conversa.

Como era de se esperar, o caso gerou repercussão extremamente negativa. A própria Maly Thomas repudiou o comportamento de Hamou e, em entrevista ao Huffington Post, afirmou que "se não estivesse ao vivo, teria socado ele". "Ele não mostrou uma boa imagem. Destruiu a si mesmo", completou.

A ministra do Esporte da França, Laura Flessel-Colovic, também se manifestou publicamente contra a atitude de Hamou. "Não, um ataque ao vivo não é engraçado. Nunca permitam, nunca banalizem tais atos", escreveu em sua página no Twitter.

Como consequência do comportamento de Hamou, a Federação Francesa de Tênis se pronunciou nesta terça-feira e o baniu de Roland Garros. A entidade tirou o credenciamento do tenista para a competição por conta de seu "comportamento repreensível com uma jornalista" e sua "conduta imprópria".

TSONGA

Em quadra, outro francês, Jo-Wilfried Tsonga, sofreu bastante nesta terça-feira. Cabeça de chave número 12 da competição, o tenista encontrou muitas dificuldades diante do surpreendente argentino Renzo Olivo e quando tentava a reação, viu a falta de luz natural adiar o restante da partida para a próxima quarta.

Irreconhecível e diante de um inspirado adversário, Tsonga viu o número 91 do ranking disparar na frente e fazer 2 sets a 0, com parciais de 7/5 e 6/4. Em um disputado tie-break, o francês diminuiu a diferença ao fazer 7/6 (8/6). E na terceira parcial, Olivo sacava para o jogo quando foi quebrado. Com o argentino vencendo por 5/4, no serviço do adversário, a organização decidiu interromper a partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.