1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Irregular, Thomaz Bellucci investiga causa de problema físico

- Atualizado: 24 Março 2016 | 07h 03

Sintomas do tenista pioram em jogos com clima quente e úmido

Os problemas psicológicos ficaram no passado, mas os altos e baixos na carreira de Thomaz Bellucci persistem. A derrota de virada para o espanhol Roberto Carballes Baena e a eliminação precoce no Brasil Open, em fevereiro, voltaram a deixar os torcedores desconfiados. A causa da inconstância do tenista, entretanto, deve ter origem física. E é mais séria do que se imaginava. 

Em São Paulo, Bellucci alegou dificuldades para manter a intensidade durante toda a partida e reclamou de cãibras e corpo pesado. “Não sei o que acontece, não consigo jogar. Meu nível de jogo cai de cem para zero, qualquer cara que está do outro lado consegue ganhar”, justificou logo após o jogo. O tenista, que também sofreu fisicamente no Rio Open e no Aberto da Austrália, parece ter encontrado uma explicação para sua irregularidade. 

Com a derrota, Thomaz Bellucci está fora do Torneio de Barcelona

Com a derrota, Thomaz Bellucci está fora do Torneio de Barcelona

O técnico João Zwetsch revelou outros sintomas que têm atrapalhado o seu pupilo nas competições. “O Thomaz está tendo há algum tempo algumas dificuldades que se refletem em tonturas e perda de visão, a visão fica um pouco turva. Isso não o impede de jogar, mas tira ele muitas vezes de uma condição normal. Ele tem que fazer um sacrifício muito grande para permanecer no jogo e tentar jogar”, explica.

Na busca pela origem do seu problema físico, Bellucci passou por médicos de diversas especialidades - endocrinologista, cardiologista e até um bioquímico - e foi submetido a uma sequência de testes. Enquanto a causa não é conhecida, a investigação continua. “O Thomaz fez uma série de exames nas últimas semanas, passou por um bioquímico, um cientista que vasculha o organismo de um pessoa, para tentarmos resolver isso da melhor forma possível”, diz o treinador do tenista número 1 do Brasil.

E a primeira pista já foi encontrada. Alguns resultados apontam que a deficiência do jogador está relacionada a lugares quentes e úmidos. “Sabemos que tem a ver com alta temperatura e umidade, com a questão termorreguladora do meu corpo”, explica Bellucci.

Sem um teste conclusivo até o momento, o canhoto de Tietê permanece sem ação. “Por enquanto não há o que fazer, tem ocorrido com mais frequência. Estamos investigando, fiz uma série de exames e estou aguardando os resultados.” Thomaz admite que os sintomas tornaram-se mais penosos recentemente. "Já sinto isso há um tempo, mas se intensificou do final do ano passado pra cá."

Às vésperas de mais uma competição, o brasileiro nega estar apreensivo com sua condição física para a estreia no Masters 1.000 de Miami e torce para que a questão não volte a atrapalhar o seu desempenho em quadra neste momento.

Bellucci, cabeça de chave número 30, entra direto na segunda rodada no torneio da Flórida e enfrenta o vencedor do confronto entre o cazaque Mikhail Kukushkin, que saiu do qualifying, e o norte-americano Brian Baker. A partida será disputada amanhã ou no sábado, em data e horário a serem definidos pela organização.

OPINIÃO DE MÉDICO

O problema físico de Thomaz Bellucci abre discussão para muitas hipóteses. Desidratação, arritmia e síndrome metabólica se encaixam na descrição dos sintomas alegados pelo tenista, analisa o médico fisiatra Gilbert Bang, que integra a Confederação Brasileira de Tênis.

"Há alguns anos, o Thomaz se queixava de desidratação rápida. Às vezes pode estar relacionado ao calor. Acho pouco provável que ele tenha algum problema cardíaco, certamente faz um check-up regularmente", afirma. Bang explica a gravidade de um problema termorregulador. “Há risco para todo o organismo, não apenas muscular, afeta também o sistema nervoso.”

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em EsportesX