Nelson Antoine/AP
Nelson Antoine/AP

Após briga interna, dupla da Red Bull foca em novos componentes em Barcelona

Max Verstappen e Daniel Ricciardo ignoraram nesta segunda-feira a batida no GP do Azerbaijão

Estadão Conteúdo

07 Maio 2018 | 21h02

Às vésperas do reencontro da dupla da Red Bull nas pistas, o holandês Max Verstappen e o australiano Daniel Ricciardo ignoraram nesta segunda-feira a batida no GP do Azerbaijão e preferiram focar suas atenções nos novos componentes que o time deve apresentar no GP da Espanha de Fórmula 1, no próximo fim de semana.

+ Pietro Fittipaldi deixa UTI e passa bem após passar por cirurgia nas pernas

+ Sauber surpreende e anuncia saída de diretor técnico após 4 GPs

"Teremos muitas atualizações no carro. Espero que elas sejam positivas para que possamos estar mais próximos dos líderes. Mas é claro que todos vão contar com novidades", disse Verstappen, ansioso pela corrida nos arredores de Barcelona. "Quero ver como o carro vai evoluir desta vez. Pode ser um momento definidor da temporada."

Apesar da expectativa, o holandês diz confiar no bom rendimento que a equipe já vem demonstrando neste início de campeonato. "Acredito que o nosso carro é muito rápido. Mas ainda precisamos dar um passo à frente."

Assim como Verstappen, Ricciardo evitou comentar nesta segunda a batida que envolveu os dois carros na corrida passada. O australiano acertou a traseira do companheiro e ambos precisaram abandonar a prova. Ao fim do GP, a direção da Red Bull conversou com a dupla para "ajustar os ponteiros" dentro do time. Eles escaparam de punição por parte dos comissários da corrida disputada em Baku.

"Barcelona é sempre uma época empolgante do ano porque é o começo da temporada europeia, o momento em que você ver o desenvolvimento dos carros", declarou o piloto australiano, que faturou a vitória no GP da China. "O Circuito de Barcelona é divertido, completamos vários voltas aqui [na pré-temporada] e conhecemos bem o traçado. Não é do tipo chato. Todos gostam de voltar aqui."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.