Ecclestone nega retorno da Prost à F-1

Aos poucos os mistérios envolvendo o que parecia ser a compra da Prost Grand Prix vão se desfazendo. Nesta terça-feira o promotor do Mundial de Fórmula 1, Bernie Ecclestone, mandou um recado bem claro para os pseudo novos donos da escuderia: "Eles estão perdendo o seu tempo se acham que irão disputar o GP da Malásia." Segundo Ecclestone, tudo o que o inglês Charlie Nickerson adquiriu da Prost, por cerca de US$ 3,2 milhões, foram alguns carros velhos e sem motor. A aquisição da equipe implicaria assumir a sua dívida estimada em US$ 30 milhões, o que não foi o caso. Tom Walkinshaw, dono da Arrows, e fornecedor da estrutura técnica para Nickerson viabilizar a reconstrução da Prost, diz que o novo time se chamará Phoenix. Todos os donos das demais equipes precisarão concordar com a mudança, o que pelas reações geradas durante o GP da Austrália parece ser impossível. Nada está claro no projeto de Nickerson e Walkinshaw. Sabe-se que o empresário adquiriu, como disse Ecclestone, os chassis dos modelos do ano passado, sem o motor, devolvido para a Ferrari, um monocoque do carro projetado por Henry Durand para este ano, os desenhos desse monoposto, e uma parte dos equipamentos existentes na sede de Gouyancourt, próximo a Paris. Soma - A fim de evitar aventureiros na F-1, como já aconteceu no passado, em detrimento da imagem do campeonato, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) exige um depósito de nada menos de US$ 50 milhões como caução, liberado apenas no término da primeira temporada. Há controvérsias sobre esse valor. Há quem acredite que seja ainda maior. Nenhuma soma é disponível quando se trata de dinheiro na F-1. O presidente da FIA, Max Mosley, comentou o surgimento da Phoenix: "Estamos aguardando um comunicado oficial. Posso apenas adiantar que eles terão muita dificuldade para tentar colocar seus carros no grid das provas do Mundial." A entidade sequer foi comunicada das intenções dos novos proprietários dos modelos 2001 da Prost. A segunda etapa será o GP da Malásia, dia 17, em Sepang, e de acordo com o comentado por Walkinshaw no GP da Austrália, dia 4, seu grupo de técnicos está tentando colocar os carros na pista para disputar a etapa de Sepang, "ou no máximo a de Interlagos." Nickerson e Walkinshaw só vão participar do campeonato da F-1 se adquirirem a Prost Grand Prix e não sua sucata. Mais: estabelecerem um plano de ressarcimento dos credores.

Agencia Estado,

05 Março 2002 | 16h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.