F-1: Nelsinho Piquet conhece ambiente

Tudo o que aconteceu no GP do Brasil, desde os treinos, dentro e fora das pistas foi acompanhado com especial atenção por um jovem garoto, levado a Interlagos pelo pai para sentir o ambiente da Fórmula 1. Uma oportunidade importante para quem planeja estar, daqui a alguns anos, no cockpit de um carro da categoria. Nelson Ângelo Piquet sabe que, para isso, um dos segredos é conhecer o terreno onde pisa. Conselho de quem entende: o tricampeão de F-1 Nelson Piquet. "Vindo aqui, talvez eu possa conhecer mais gente. Meu pai pode me apresentar às pessoas. Mas vou ter de fazer o meu. Do contrário, não adianta nada??, diz Nelsinho, 16 anos, que estreou na F-3 Sul-Americana durante a temporada passada, obteve bons resultados e em 2002 vai disputar o campeonato inteiro. O garoto não nega que o objetivo final é chegar à F-1. Mas não tem pressa. Tem um plano de carreira desenvolvido pelo pai e não pretende atropelar as coisas. "Ele tem muita experiência e tenho de acreditar no que ele diz. Falou, está falado. Vou seguir os passos que ele mandar.?? Mas enganam-se os que pensam que Nelsinho tem "dependência total?? do tricampeão. O garoto sabe o que quer. Já percebeu que não vale a pena entrar na F-1 se for para correr por equipes com pouca estrutura como a Minardi. "Correr por uma equipe dessas não vale a pena. E perder moral. Melhor é ir para os EUA??, diz, embora não diga claramente qual seria sua opção no caso de mudar seu foco em direção aos Estados Unidos. Nelson Ângelo não vive só de automobilismo. Tem outras preocupações, a principal delas é estudar. Ele teve de interromper os estudos no segundo ano colegial e vai recorrer ao supletivo para fazer o terceiro em apenas seis meses. "Depois, pretendo prestar vestibular. Ainda não me decidi para quê, mas gosto de Publicidade e Artes Gráficas??, planeja. Como todo jovem, o garoto gosta de sair com os amigos, ir a barzinhos, enfim, de se divertir. "Mas não abuso. Temos regras em casa. Meu pai é duro nisso, não exagero.??

Agencia Estado,

31 Março 2002 | 13h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.