Diego Azubel/EFE
Diego Azubel/EFE

Hamilton faz o melhor tempo do dia em treinos livres do GP da Malásia

Alonso ficou apenas em 16º com a McLaren em sua volta às pistas

Estadão Conteúdo

27 Março 2015 | 07h36

Atualizado às 09h10

O inglês Lewis Hamilton "encontrou" uma nova forma de comprovar o domínio que a Mercedes tem da Fórmula 1 nesse momento. O atual campeão mundial ficou de fora de dois terços das sessões de treino livre desta sexta-feira do GP da Malásia, a segunda prova da temporada 2015, mas mesmo assim conclui o dia como o mais rápido no Circuito Internacional de Sepang.

O período perdido na garagem da Mercedes, fora do calor extremo na pista malaia, não foi, porém, uma opção de Hamilton. O seu carro teve problemas no sistema de admissão do motor logo no início do primeiro treino livre desta sexta-feira. Os mecânicos da equipe, então, levaram três horas para resolver o problema, o que levou o inglês a perder 40 minutos da segunda atividade.

Ele, então, foi para a pista e quase imediatamente fez o melhor tempo do dia no circuito de Sepang, com a marca de 1min39s790 - o inglês, aliás, foi o único piloto a registrar uma volta em menos de 1min40 nesta sexta-feira, no primeiro dia de atividades do GP da Malásia.

Quem mais se aproximou de Hamilton foi o finlandês Kimi Raikkonen, que acabou sendo o segundo mais rápido da sexta-feira com o tempo de 1min40s163. O piloto da Ferrari ficou logo à frente do alemão Nico Rosberg, o outro piloto da Mercedes, que marcou 1min40s218 na sua melhor volta.

Rosberg fez o tempo mais rápido do primeiro treino livre, quando Hamilton não conseguiu registrar voltas, mas depois acabou sendo superado pelo seu companheiro de equipe e também por Raikkonen.

O russo Daniil Kvyat ficou em quarto lugar, com a marca de 1min40s346, bem à frente do australiano Daniel Ricciardo, que terminou o dia em décimo lugar e é seu companheiro de equipe na Red Bull, que passa por um momento de turbulência na relação com a Renault, a sua fornecedora de motores.

Kvyat foi seguido pelos dois pilotos da Williams. O finlandês Valtteri Bottas, que não conseguiu participar do GP da Austrália por causa de uma lesão nas costas, terminou o dia em quinto lugar com a marca de 1min40s450, logo à frente do brasileiro Felipe Massa, o sexto colocado, com 1min40s560.

O alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, foi o sétimo colocado, com 1min40s652. O holandês Max Verstappen, de 17 anos, da Toro Rosso terminou o dia em oitavo lugar, enquanto o sueco Marcus Ericsson, a Sauber, foi o nono. Já o brasileiro Felipe Nasr, da Sauber, ficou na 12ª colocação com o tempo de 1min41s988, registrado no segundo treino livre - ele não participou da primeira atividade, sendo substituído pelo suíço Raffaele Marciello.

Fora do GP da Austrália devido aos efeitos de um acidente sofrido durante a pré-temporada da Fórmula 1, o espanhol Fernando Alonso fez a sua reaparição pela McLaren nesta sexta-feira. A boa notícia foi que ele acompanhou o ritmo do seu companheiro de equipe, o inglês Jenson Button. A má é que eles ficaram apenas na 16ª e 17ª colocações, respectivamente, com as dificuldades da McLaren para ser competitiva.

A equipe Marussia, que nem sequer entrou na pista na abertura do campeonato na Austrália, fez uma tardia estreia na temporada. O britânico Will Stevens ficou em 19º e penúltimo lugar, logo à frente do seu companheiro de equipe, o espanhol Roberto Merhi.

Todos eles sofreram com o forte calor nesta sexta-feira, com a temperatura na pista superando a marca dos 60ºC. As altas temperaturas provocaram elevados níveis de degradação dos pneus, o que pode ser fator determinante para o resultado do GP da Malásia no domingo.

Antes, neste sábado, serão realizados o terceiro treino livre, às 3 horas (de Brasília), e a sessão de classificação, às 6 horas. A prova malaia tem largada marcada para as 3 horas do domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.