Reuters/Max Rossi
Reuters/Max Rossi

Hamilton reclama de oscilação da Mercedes em treinos livres para o GP de Mônaco

Britânico fez o melhor tempo da primeira sessão e ficou apenas em oitavo na segunda bateria

O Estado de S.Paulo

25 Maio 2017 | 18h54

O piloto Lewis Hamilton, vice-líder da temporada na Fórmula 1, lamentou a oscilação de sua Mercedes nos dois treinos livres desta quinta-feira para o GP de Mônaco, que será disputado no tradicional circuito de rua de Montecarlo, no próximo domingo. O britânico fez o melhor tempo da primeira sessão e ficou apenas em oitavo na segunda bateria.

"Nós não tivemos um grande dia hoje. No treino da manhã, fomos muito bem e rápidos. Mas no segundo, apenas lutamos para ter aderência dos pneus e estávamos deslizando muito. Não sei porque os pneus não estavam funcionando, mas a diferença entre as duas sessões (de treinos) foi grande. Temos que trabalhar até sábado para melhorar. Mas estou confiante no trabalho da equipe. Mônaco é sempre incrível para pilotar, mas é definitivamente o melhor carro que já dirigi aqui. As Ferraris estão muito rápidas de novo e as Red Bull estão bem neste fim de semana. Estamos ansiosos para uma luta no sábado", analisou o britânico.

O companheiro de equipe do britânico, Valtteri Bottas, que ficou em quarto no teste da parte da manhã e em décimo à tarde, também ressaltou as dificuldades com o carro nas duas etapas de treinos.

"O treino da tarde foi difícil e lutamos com o ritmo em uma volta. Fizemos algumas mudanças entre a sessão um e a sessão dois, mas claramente pegamos a direção errada. Por isso, nós dois sofremos. Quando o carro não está certo, você perde muito tempo em Mônaco. Nós tentamos voltar atrás com o jogo de pneus e isso melhorou (a performance do carro), mas a certo ponto nós colocamos muitas voltas nos pneus. Pelo menos, aprendemos o que não fazer com os pneus aqui. É uma pena, mas temos um dia inteiro amanhã para analisar tudo e voltarmos mais fortes no sábado. Estarei perto do topo novamente. Tenho certeza", completou o finlandês.

O diretor técnico da escuderia, James Allison, confirmou a impressão dos dois pilotos, prometeu rever a questão dos pneus, mas se mostrou confiante para o treino oficial de sábado devido à boa performance dos carros na primeira parte dos testes, na manhã desta quinta-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.