Inscrição da Prost pode ser anulada

O magnata australiano Paul Stoddart, dono da Minardi, confirmou nesta terça-feira que vai pedir à Federação Internacional de Automobilismo (FIA), a impugnação da inscrição da equipe Prost no Mundial 2002. Depois de sofrer intervenção judicial por conta de uma dívida avaliada em US$ 30 milhões, a Prost planeja voltar a correr já no GP da Malásia - a segunda etapa da temporada 2002 de Fórmula 1, marcada para o dia 17 de março. "Os novos donos não têm nenhum direito legal ou moral para estarem na F-1?, declarou Stoddart. ?Tenho em meu poder o parecer de cinco perícias que indicam irregularidades nesta operação?, acrescentou o dirigente. A Prost foi comprada oficialmente por um grupo de empresários ingleses liderados por Charles Nickerson, proprietário da Phoenix Finance. Essa empresa teria contratado Tom Walkinshaw, dono da Arrows, para fazer a comprar e, depois, cuidar da futura equipe. Por decisão de um tribunal francês, a equipe "Prost Grand Prix" estava sob intervenção desde o final do ano passado. Ao final do processo, a escuderia teria sido comprada por US$ 2 milhões por Walkinshaw, numa negociação agora contestada pelo empresário australiano. Segundo Stoddart, o patrimônio da equipe estava avaliado entre US$ 30 e 60 milhões. ?Por causa disso, é inconcebível que tenha sido cedida a Walkinshaw por uma quantia tão irrisória?, reclama. A negociação tem ainda um outro aspecto nebuloso. Segundo informações veiculadas nos bastidores da F-1, a Volks - por meio de sua filial Skoda - estaria por trás da operação. A empresa alemã, no entanto, nega que tenha algo a ver com a compra da Prost.

Agencia Estado,

05 Março 2002 | 11h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.