Jordan oficializa saída da Honda

Oficialmente, a Honda não será mais a parceira da Jordan a partir de 2003. A escuderia do irlandês Eddie Jordan terá motores Ford nas próximas três temporadas e a marca da empresa, uma elipse azul com o nome Ford no centro, estará nos seus carros. Neste domingo, no GP da Hungria de F1, Giancarlo Fisichella conseguiu mais um ponto para a equipe, o sétimo no ano, o que a deixa em sexto entre os construtores. Com a saída da Honda, Takuma Sato deverá perder seu lugar. Vários pilotos podem ser o companheiro de Fisichella na Jordan. O primeiro da lista, assim como da Toyota e da Sauber, é o alemão Heinz-Harald Frentzen. O Deutsch Post, principal patrocinador da equipe, é alemão, defende Frentzen e esse parece ser o seu caminho mais natural. No caso de ele optar pela Sauber, por exemplo, opção pouco provável mas não impossível, Felipe Massa ficaria, em princípio, sem equipe. Massa está também na lista da Jordan e até da Toyota, ainda que na escuderia japonesa, se Frentzen não se decidir por ela, Antonio Pizzonia, brasileiro da Formula 3000, esteja muito bem cotado, além de o experiente francês Olivier Panis disputar a vaga igualmente. Sabe-se que Frentzen já recusou a primeira oferta da Toyota e outra lhe será feita. Assim que ele decidir por qual dos times quer correr, Toyota, Jordan ou Sauber, o mercado se movimentará, o que não deve demorar mais de um mês.

Agencia Estado,

18 Agosto 2002 | 15h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.