Phoenix: oval parece "máquina de lavar"

Entre as curvas 1 e 2 do circuito oval de Phoenix, onde a pista tem inclinação de 11 graus, a aceleração lateral é de 5 g (cinco vezes a força da gravidade). Em nenhum outro traçado da IRL (Indy Racing League) ou mesmo da Cart (Championship Auto Racing Teams), esta aceleração é tão forte. "Este é o desafio que enfrentamos em Phoenix. Você tem que estar bem preparado para suportar isso", diz o piloto brasileiro Gil de Ferran, da Penske, sobre a segunda etapa da IRL, no próximo domingo. Segundo Amandio Ferreira, o Gigante, um dos responsáveis pela carreira de Gil, esta força de 5 g dá a impressão de que a cabeça vai se separar do tronco. E dá a mesma sensação que uma pessoa sente se for submetida a uma poderosa centrifugadora. Leia mais no Jornal da Tarde

Agencia Estado,

13 Março 2002 | 09h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.