Pirelli elogia Ferrari e aprova primeiro teste de pneus da F-1 em 2017

Escuderia conta com o alemão Sebastian Vettel para cumprir programação

O Estado de S.Paulo

19 Abril 2017 | 16h46

A Pirelli aprovou o desempenho das equipes e dos pilotos ao fim do primeiro teste da temporada 2017 da Fórmula 1, no Circuito de Sakhir, no Bahrein. A fornecedora de pneus da categoria fez elogios diretos à Ferrari, que reservou a terça para testar os compostos que a Pirelli usará na F-1 em 2018.

"Estamos satisfeitos com os testes. Ontem, completamos a programação agendada com a Ferrari, apesar do atraso de algumas horas causado por um problema mecânico no carro", disse Mario Isola, chefe de competições da Pirelli. "Os profissionais da Ferrari e do circuito foram extremamente prestativos ao atender nossa solicitação de correr por mais três horas, para que pudéssemos concluir a nossa programação."

A Ferrari contou com o alemão Sebastian Vettel, vencedor da corrida disputada no mesmo circuito, no domingo, para cumprir a programação conjunta com a Pirelli. "Vettel pilotou por 130 voltas, testando diversas soluções em potencial para o próximo ano. A pista aqui no Bahrein é particularmente bem adequada para esse propósito, devido ao clima estável e ao próprio traçado, que evidencia qualquer questão relativa a superaquecimento."

Em dois dias de testes, a Pirelli pôde avaliar o comportamento dos pneus deste e do próximo ano ao longo de 1.761 voltas, equivalente a 9.536 quilômetros. "Tivemos uma leitura inicial de vários compostos diferentes e coletamos muitas informações úteis, que agora analisaremos em Milão. Esses dados serão a base do próximo teste de desenvolvimento, em Barcelona", afirmou Isola.

Os próximos testes serão realizados nos dias 16 e 17 de maio, em Barcelona, local dos testes da pré-temporada, no início do ano. Nesta segunda atividade durante a temporada, a Pirelli contará com Renault e Toro Rosso para testar os pneus em desenvolvimento para o próximo ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.