Pizzonia e Sperafico rebatem críticas

No kartódromo de Interlagos, Antônio Pizzonia e Ricardo Sperafico falaram sobre as expectativas com relação à temporada de Fórmula 3000. A dupla admite que, nos testes de inverno, o carro da Petrobrás Júnior foi muito inferior ao das equipes Durango e Arder. Pizzonia foi mais duro nas criticas. "A equipe não fez um bom trabalho. Temos de ter a humildade de admitir." O que está incomodando o brasileiro é o fato da equipe estar aproveitando a maior parte da quilometragem estipulada pela FIA para testes com novos pilotos. Os brasileiros, porém, negaram que o modelo 2002, projetado segundo as especificações de segurança da Fórmula 1, tenha "nascido errado", como dizem alguns críticos. "Estamos com problemas de acerto", garante Pizzonia, que diz não ter perdido a esperança de ser campeão nesta temporada. Segundo ele, nem sempre bons resultados em testes significam bons carros na temporada.

Agencia Estado,

27 Março 2002 | 19h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.